Alunos e professores apresentam trabalhos durante a XV SBGames

image_pdfimage_print

Entre os dias 8 a 10 de setembro, foi realizado na Escola Politécnica da USP, em São Paulo, a XV edição do maior evento da América Latina na área de games e entretenimento digital, o Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital – SBGames. Alunos e professores do Curso de Jogos Digitais da Unicap apresentam suas pesquisas nas trilhas de Cultura e, Arte e Design, além visualizarem as tendências sobre tema de Realidade Virtual (RV) e projetos nas diversas áreas do Simpósio, desde o festival de jogos aos debates na trilha de indústria.

Os professores Dario Brito e Carla Teixeira apresentaram o trabalho ‘Imersão e medo em jogos de terror: análise das estruturas de áudio e efeitos sonoros do jogo Blindside‘, na trilha de Arte e Design, em que o professor Breno esteve coordenado a apresentação dos trabalhos.

O professor Luca Pacheco apresentou a pesquisa sobre “O sagrado nos videogames: uma introdução ao estudo da religião e jogos digitais” tendo uma repercussão grande na trilha de Cultura, chamando a atenção do coordenador de trilhas e dos participantes, o professor Dr. João Mattar, que ressaltou a importância da investigação sobre a relação religião e videogame além de sua implicação na cultura.

Segundo Luca Pacheco foi uma surpresa seu tema ser ainda pouco pesquisado. Além disso, ele percebeu o grande interesse, dos presentes, em jogos voltados para a educação, saúde, inclusão e cidadania. Isso mostra um esforço na produção de jogos de qualidade que contribuam para o desenvolvimento humano de uma maneira mais divertida.

Participar do SBGames 2016, foi uma experiência que me enriqueceu muito. O contato com pesquisadores que estão empenhados no estudo dos games em diversos aspectos, como artes e design, computação, cultura e indústria abriu o meu horizonte de pesquisa para as principais metodologias de abordagem e para um leque de referenciais de conhecimento, diz o professor Luca Pacheco.

Além disso tivemos o egresso Rodolfo Santana e a aluna Ariany Oliveira que apresentaram o artigo “A importância da narrativa e do som: despertando as emoções no jogo Sophie in Wonderland“, também na trilha de Cultura.

Recebemos vários elogios e incentivos pra continuarmos o projeto pois tinha muita coisa legal e que tinha um diferencial dos jogos indies atuais pois foca bastante na narrativa, diz o egresso Rodolfo Santana.

Um dos temas mais abordados foi a questão da Realidade Virtual e quais os avanços das pesquisas na atualidade. Na palestra do professor Esteban Clua é professor na Universidade Federal Fluminense e coordenador do UFF MediaLab, as pesquisas no Brasil já tem avançado bastante, tanto no que diz respeito a questão do processamento de imagens e no reconhecimento dos membros superiores para a interação com o ambiente virtual e tridimensional. Segundo o fundador e CEO do estúdio de RV Owlchemy Labs, Alex Schwartz, a Realidade Virtual é mais uma ponto de evolução na maneira de jogar como ocorreu com os smarthones e o desafio é desenvolver interfaces e jogabilidades focadas neste tipo de plataforma.

Valeu muito a pena ter ido ao SBGames. Aprendi muito. As trilhas  trouxeram diversos  conteúdos e pude entender  melhor o que é o mundo acadêmico nos jogos. Uma trilha em especial pra mim foi a da cultura, onde foram debatidos temas como a representação do sagrado e a discussão de gênero em jogos digitais, diz o aluno do segundo módulo, Mourick Ramos

Nesta edição que comemorou os 15 anos de SBGames foi realizados pela primeira vez um workshop de trabalhos de graduação, um workshop de teses e dissertações, um workshop de jogos para saúde e a segunda edição do SBGames Kids & Teens.

Deixe uma resposta