SculptGL é opção gratuita para modelagem 3D

Os artistas e entusiastas da modelagem 3D precisam conhecer o SculptGL. A ferramenta é gratuita e roda diretamente no navegador (Firefox e Google Chrome), sem a necessidade de instalar nada. Isso é possível graças às tecnologias WebGL e JavaScript incorporadas nos navegadores.

Com uma interface simples e descomplicada é possível brincar com o aplicativo, mesmo com os comandos em inglês e em algumas línguas asiáticas. O SculptGL salva os arquivos em formato REP, SGL, OBJ, PLY e STL, que posteriormente podem ser importados por outros aplicativos.

Confira as principais teclas que vão ajudar na hora da modelagem:

0 – 9 : Ferramentas de modelagem
E : ajuste de profundidade
R : ajuste de rotação
N : alterar o eixo de rotação
Shift : ajustes suaves (manter tecla pressionada)
Delete : deletar objeto
Ctrl + Z : desfazer
Ctrl + Y : refazer
Setas / wasd : movimentar a câmera em modo FPS
T, L, F : ajustar o ângulo da câmera (topo, esquerda, frente)
Alt + Mouse: movimentar objeto livremente
Numpad +/- : aumentar/diminuir raio do pincel
X : ajuste do raio com mouse

Fonte: Tecmundo




Mercado de jogos indie atrai desenvolvedores brasileiros

Diferente dos grandes estúdios desenvolvedores que investem grandes cifras, a exemplo do Actvision que desenvolveu um jogo de tiro em primeira pessoal e chegou às lojas em setembro de 2014 com um orçamento de produção estimado em US$ 500 milhões, os desenvolvedores independentes, também conhecidos como indie, estão provando que jogos de qualidade não precisam serem necessariamente custosos no seu desenvolvimento.

Com criatividade para suprir a limitação dos recursos financeiros, brasileiros estão abrindo espaço na indústria de jogos digitais. Os jogos indies, como são apelidados os títulos que não recebem o apoio de gran­des distribuidoras, ganharam relevância no Brasil nos últimos anos devido ao barateamento de softwares para a produção de games e a popularidade de plataformas on-line como o Steam ou o Xbox Live.

“Esse tipo de jogo é mais livre por ter estruturas menores que permitem arriscar em novidades. Quando se tem um orçamento reduzido, há um espaço maior para a criatividade”, afirma Alexandre da Silva, professor do curso de games do Senac.

Fonte: Revista Galileu




Nintendo irá desenvolver jogos para dispositivos móveis

A notícia que abalou a industria de games nesta terça (17/03), foi que a gigante dos consoles, a Nintendo, anunciou que entrará no seguimentos de dispositivos móveis. Para isso, foi firmada uma parceria com a DeNA, que ficará responsável em desenvolver jogos para smartphones e tablets com o selo da Nintendo.

Confira, a seguir, o comunicado de Iwata sobre o novo projeto e a parceria com a DeNA:

“Alavancando a força das propriedades intelectuais e das habilidades da Nintendo com o conhecimento da DeNA com jogos mobile, ambas as companhias vão desenvolver e operar novos aplicativos de jogos baseados em séries da Nintendo, incluindo personagens icônicos, para dispositivos. A aliança foi feita para complementar a estratégia envolvendo jogos da Nintendo, bem como estender o seu alcance no vasto mercado de dispositivos espalhados pelo mundo. Com essa parceria, [a] DeNA também poderá ampliar sua força no mercado de games em escala global ao lidar com as propriedades da Nintendo. Para garantir a qualidade da experiência que os jogadores esperam dessa aliança, somente serão criados novos títulos otimizados para dispositivos em vez de portar algo criado especificamente para o Wii U ou Nintendo 3DS”.

 

 

 

 

Fonte: Tecmundo




Empreendedorismo e Tecnologia será tema de debate na Unicap

No próximo dia 24 de março de 2015, terça-feira, o Quartas da Comunicação receberá o empresário André Ferraz, CEO da In Loco Media, empresa integrante do grupo Napers, 11º maior conglomerado de mídia do mundo. A In Loco Media é detentora da tecnologia de localização mais precisa do mercado global, sendo a empresa mobile líder no mercado brasileiro.

A palestra, promovida pelo curso de Publicidade e Propaganda, acontecerá na sala 510 do Bloco A da Universidade Católica de Pernambuco. Para ter acesso ao evento os participantes devem levar uma lata de leite, que será doada para instituições de caridade.

cartaz-ok

 




Projeto de jogo de tabuleiro tem arrecadação em tempo recorde no kickante

Projeto desenvolvido pela Histeria Games, arrecadou mais de 4 vezes (até a publicação dessa matéria) o necessário para iniciar o desenvolvimento. Orçado inicialmente em R$ 25 mil, o projeto para desenvolvimento de jogo de tabuleiro com elementos de RPG, já havia arrecadado R$ 101 mil e ainda faltam 39 dias para o final da campanha de arrecadação de fundos.

Caçadores da Galáxia tem ambientação futurista, apresentando diversos robôs e batalhas colossais. O diferencial entre este jogo e demais de tabuleiro é que a mecânica deste baseia-se em estratégia, de modo que durante os turnos o jogador deve gerenciar recursos e possuir ótimo planejamento. O fator sorte é praticamente deixado de lado aqui.

Caçadores-da-Galaxia1

“Dezenas de testes foram realizados com gamers especialistas e críticos de diversas regiões do país. Regras foram desenvolvidas de forma meticulosa, tornando o jogo equilibrado e possibilitando a execução de diferentes estratégias para vencer. Além disso, agregamos ao Caçadores peças idealizadas com olhares cuidadosos e criativos de designer, aliando produção visual e gráfica de alta qualidade”, disse Daniel Alves.

No breve enredo, estamos em um futuro distópico em que vários planetas estão arruinados pelos erros de megacorporações. Tais empresas empregam robôs gigantes como armas de guerra em planetas pacíficos. Eis que surge a oportunidade para sujeitos ousados tornarem-se Caçadores da Galáxia, e é aí que o jogador entra na história. Seu dever é batalhar contra outros caçadores e garantir os recursos naturais dos planetas que estão em disputa.

O sistema utilizado para arrecadação de fundos foi o crowndfunding, do site Kickante, onde pessoas anonimas fazem doações para o desenvolvimento de qualquer tipo de projeto. Se você se interessou, ou tem algum projeto que não saiu do papel por falta de dinheiro,  acesse o site do Kickante para saber mais sobre as possibilidades do crowndfunding.

Fonte: GameReporter




“Queremos que as pessoas se viciem em aprender”

Já existem várias iniciativas de usar jogos educativos ou gamificar o ensino para engajar os alunos. Mas segundo o diretor de marketing da Rovio, empresa finlandesa criadora do fenômeno mundial Angry Birds, Peter Vesterbacka, as vezes é deixado de lado: a diversão.

“Quando olhamos para o papel dos games na educação e o que significa o aprendizado ser divertido, sempre uso um exemplo da Finlândia. Pesquisas locais já apontaram que os meninos falam melhor inglês do que as meninas e que isso acontece simplesmente por eles jogarem mais do que elas. Como os games são em inglês, eles aprendem o idioma enquanto estão se divertindo”, argumenta o executivo, que esteve no Brasil ano passado, no evento Transformar 2014, e que haverá a segunda edição em 2015.

crédito Lincoln Blues / Flickr
crédito Lincoln Blues / Flickr

Com o lema da diversão, a Rovio já fez seu joguinho mais famoso ultrapassar a marca dos 2 bilhões de downloads. Mas agora os pássaros que tentam recuperar ovos que foram roubados por seus inimigos, os porcos verdes, também vão ser usados para ensinar. A Rovio está investindo em materiais educativos, como livros (digitais e de papel) e jogos educativos que abordam temas de matemática, física, programação, música e astronomia. “Nós queremos fazer todo o aprendizado ser divertido. Que as crianças aprendam sem perceber, por estarem tendo um momento de entretenimento, de brincadeira”, afirma Vesterbacka, que também é um dos criadores do Angry Birds.

Na visão do executivo, a familiaridade que as crianças já têm com os personagens ajuda a elevar o engajamento delas em relação aos conteúdos pedagógicos que estão por trás de versões do jogo, como o Angry Birds Playground, projeto direcionado a crianças de três a seis anos, e o Angry Birds Space, focado no ensino da astronomia.
Outro exemplo que comprova a eficiência desse engajamento, segundo Vesterbacka, foi o trabalho que a Rovio desenvolveu com a Code.org, organização criada com o objetivo de difundir o ensino da programação nas escolas. A parceria disponibilizou uma atividade introdutória aos códigos usando os personagens do jogo.

“Sem engajamento é difícil que o aprendizado aconteça. Vimos o engajamento de estudantes crescer apenas por usarmos nossos personagens. As pessoas já os conhecem e gostam deles, então é mais fácil usá-los para despertar o interesse em física, matemática ou programação, por exemplo”, afirma o diretor.

Sobre como enxerga o futuro da relação entre games e educação, Vesterbacka diz que mudanças já estão começando a acontecer e que elas são propícias à aproximação dos jogos com os ambientes de aprendizagem. “Se tiverem opção, todos escolhem a maneira mais divertida de fazer ou realizar algo.”

E essa tendência vai acabar empurrando o aprendizado, naturalmente, para fora da escola. “Vamos começar a ver mais frequentemente o aprendizado acontecendo fora das salas de aula. As crianças já têm acesso aos conteúdos em qualquer lugar e, com os anos, vão surgir mais outras tantas plataformas on-line de aprendizado. Nesse contexto, a necessidade de engajar os estudantes só cresce”, diz o executivo, que completa: “Assim como acontece com jogos de entretenimento, gostaríamos de fazer as pessoas ficarem viciadas em aprender. Pois se o aprendizado é divertido, é mais eficiente. Isso fará com que as pessoas queiram aprender cada vez mais”.

Fonte: Porvir




Aparelho de realidade virtual da Valve será vendido este ano [Atualizado]

Durante o evento Game Developers Conference (GDC 2015), em San Francisco, Califórnia, EUA, que começou nesta segunda-feira, a Valve revelou o seu aparelho de realidade virtual, chamado HTC RE Vive, que chegará ainda este ano às lojas.

O aparelho de RV está sendo desenvolvido em parceria com a companhia taiwanesa HTC, e promete nada menos que revolucionar o mundo do entretenimento.

Veja o vídeo de divulgação:

Segundo a empresa, o RE Vive trará algumas das configurações mais avançadas entre os modelos de óculos de realidade virtual em desenvolvimento: Suas telas internas possuem resolução de 1200 por 1080 e taxa de atualização de 90 frames por segundo, além de cobrir completamente o campo de visão do usuário, eliminando ou reduzindo drasticamente as náuseas causadas em outros aparelhos.

oculos-valve2

Ele terá mais de 70 sensores e rastreadores que sincronizam os movimentos da cabeça com a câmera dentro do jogo/simulação, além de dois controles ergonômicos ainda não revelados, que farão parte do pacote.

A Sony também prepara o lançamento do seu óculos virtual. Chamado de Project Morpheus, o device tem previsão para está disponível no mercado em 2016.

Project Morpheus da Sony. Divulgação

Fonte: Arkade.com.br

Fonte: MundoBit