Fronteiras - Revista de Teologia da Unicap

A Revista Fronteiras tem como finalidade divulgar a reflexão no campo da Teologia, com qualidade científica reconhecida, estando aberta ao diálogo ecumênico e inter-religioso, bem como a outros campos do saber científico. Nossa missão é ser um espaço de reflexão teológica atual a partir de temas contextualizados em diálogo aberto com outras áreas do saber, culturas e perspectivas.


Imagem para capa da revista

Fonteiras é a nova revista do Programa de Pós-Graduação em Teologia da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap).

O título remete a perspectiva dialogal de D. Helder Camara, que, desde a Igreja das Fronteiras, em Recife, estabelecia vínculos com pessoas e movimentos do mundo inteiro.

Essa práxis do Dom era fundamentada em sua experiência que vinha de uma compreensão própria das Sagradas Escrituras, testemunhada a partir princípios evangélicos.

Inspirados pela teologia prática de D. Helder, a Revista quer ser um espaço de reflexão teológica atual a partir de temas contextualizados em diálogo aberto com outras áreas do saber, culturas e perspectivas. 

Para saber mais sobre o foco, submissões, diretrizes e políticas de nosso Periódico, clique em Sobre no menu superior. 

Notícias

 

CHAMADAS TEMÁTICAS DE ARTIGOS PARA AS EDIÇÕES DE 2018 e 2019

 

A dimensão política da fé

Jan./Jun. 2018 – v. 1, n. 1

Submissão até 30 de Março de 2018

Política, no sentido amplo da palavra, é o engajamento social em prol do bem comum. Da mesma forma, a fé cristã, cujo fundamento é a prática de Jesus, nos Evangelhos, tem como missão a inserção na sociedade em busca da construção de relações sociais justas, em que todos tenham vida, e a tenham em abundância (Jo 10,10). Em Mt 11,5, o próprio Jesus explicita o seu modo de engajamento na sociedade do seu tempo, em que, por meio de sua ação social, cegos recuperam a vista e coxos andam, leprosos ficam purificados e surdos ouvem, mortos são ressuscitados e pobres são evangelizados”. Desse modo, na concepção cristã, fica evidente que a fé tem uma dimensão política, e a política tem um caráter teologal.

 

Medellin: memórias e perspectivas

Jul./Dez. 2018 – v. 1, n. 2

Submissão até 30 de setembro de 2018

A Igreja Católica comemora, em 2018, os 50 anos da segunda Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizado na cidade de Medellín, Colômbia, de 24 de agosto a 6 de setembro de 1968. Esse evento, considerado como um dos maiores eventos eclesiais católicos do Continente no século XX, foi um marco histórico para a Igreja. Significou um esforço de ampliar o Concílio Vaticano II (1962 a 1965) na América Latina, recolhendo e assumindo as intuições e orientações conciliares como fontes e metas de um projeto eclesial que, desde então, foi sendo assumido pelas Igrejas locais de diversos países. Medellín é, portanto, grande inspiração de sentido e de rumos para as Igrejas do continente e para a Igreja universal.


*************************************************************


Sínodo da Amazônia. Justiça socioambiental

Jan./Jun. 2019 – v. 2, n. 1

Submissão até 30 de Março de 2019

O Papa Francisco convocou um Sínodo dedicado à região da Amazônia, que será realizado em outubro de 2019, em Roma. O principal objetivo será identificar novos caminhos para a evangelização do povo daquela região, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem a perspectiva de futuro, até por causa das crises na Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para o planeta. Segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT), as políticas públicas no campo da justiça socioambiental não abrangem as demandas de lutas sociais históricas que criticam e repensam a manutenção da estrutura de poder atual, que está intimamente ligada ao acúmulo de capital e à manutenção da propriedade privada. Está sendo denunciado, por meio de muitos órgãos não governamentais, a destruição da população empobrecida, das culturas dos povos tradicionais e do meio ambiente. O Sínodo da Amazônia será, portanto, muito bem vindo, não só para a Igreja, mas para todo Continente latino-americano. 
 

Eclesiologia contemporânea: Igreja em saída para as periferias

Jul./Dez. 2019 – v. 2, n. 2

Submissão até 30 de setembro de 2019

A centralidade da ação missionária da Igreja, da continuidade do mandato evangélico de Jesus da responsabilidade do anúncio do Evangelho “a toda criatura”. O Concílio Vaticano II (1962-1965) e Conferências Episcopais têm destacado o tema da missão como imperativo eclesial que remarca a identidade mesma da Igreja. Atualmente, o Papa Francisco prima pelos esforços de impulsionar a Igreja para que esteja sempre em atitude de “saída”, e insiste que tenha os olhos direcionados especialmente para as periferias, como expressado claramente na Encíclica Evangelii Gaudium (24/11/2013), onde destaca a alegria de servir e anunciar o evangelho, das mais variadas formas. Essa exigência missionária é traduzida como “Igreja em saída”, tal qual a comunidade de discípulos missionários “que ‘primeireiam’, que se envolvem, que acompanham, que frutificam e festejam” (EG 24). O Papa convida mesmo para atitudes corajosas: “Ousemos um pouco mais no tomar iniciativa!” (EG 24). Nessa perspectiva, a Eclesiologia contemporânea é interpelada a estudar criticamente e refletir teologicamente sobre os enormes desafios à missão, no tempo que se chama hoje.

 
Publicado: 2018-02-22
 
Outras notícias...

v. 1, n. 1 (2018): A dimensão política da fé

Sumário

Apresentação

Pedro Rubens Ferreira Oliveira
5-7
Marcelo Barros
8-12
Francisco de Aquino Júnior
13-16

Dossiê Temático

José Luciano Albino Barbosa
17-36
Carlos Eduardo Cardozo
37-56
Antonio Manzatto
57-78
Drance Elias Silva
79-92
João Luiz Correia Júnior
93-111
Valério Guilherme Schaper, Roberto Ervino Zwetsch
112-136

Tema Livre

Maurice Cheza
137-146
Francisco Quesada Rodríguez
147-158
André Luís de Araújo
159-177
Jacques Trudel
178-190

Dissertações

 
191-196