OBSERVATÓRIO EM CONGRESSO LUSÓFONO SOBRE RELIGIÕES

WP_20150509_002 1

 

Realiza-se de 9 a 13 de maio, em Lisboa, Portugal, o 1º Congresso Lusófono de Ciência das Religiões, um evento científico internacional de grande importância para os estudos do religioso, haja vista que a língua portuguesa reúne mais de 270 milhões de pessoas em 10 países, além de várias comunidades pelo mundo afora, abrigando culturas que se modernizam e buscam com avidez uma interpretação científica, “de fora e de baixo”, das tradições espirituais da humanidade. O congresso acontece com apoio de Programas de Pós-graduação brasileiros na área, mas nas instalações e por iniciativa dos cursos de Ciência das Religiões da Universidade Lusófona, onde se está criando espaço para intercâmbio das dinâmicas de investigação dos fatos religiosos pelos pesquisadores de fala portuguesa e pelos de outros departamentos universitários de países não lusófonos, mas que estudam a religiosidade no universo da lusofonia. O grupo da Lusófona é que vem animando também a constituição de uma Associação Portuguesa para o Estudo das Religiões.

Além das conferências (como “Caminhos da construção de um estudo acadêmico das religiões no século XXI” ou “Corpo, fundamento e produto do religioso”) e mesas de debate (sobre “Mídia, política e religião” ou “Laicidade, laicismo e intolerância religiosa”, por exemplo), há cerca de trezentas comunicações ocorrendo, sobretudo por parte de cientistas do Brasil, Portugal, Angola e Moçambique, distribuídos por 28 simpósios temáticos, entre os quais: Secularização e fenômeno religioso na construção da modernidade ocidental; Religião, multiculturalismo e Direitos Humanos; O corpo e a religião; Laicidade, liberdade religiosa e Ensino Religioso; Currículo, identidade religiosa e práxis educativa; Das curas milagrosas das religiões; Catolicismo, tradição, modernidade; Diversidade Religiosa, psicologia e imaginário; Gnose cristã: estudo e problemas; Dinâmicas de identificação e transformação nas religiões de matrizes africanas; Divindades e rituais religiosos na Amazônia Oriental.

WP_20150508_034 1O grupo de estudos do nosso Observatório Transdisciplinar das Religiões no Recife está participando do Congresso através da presença de Franci, Constantino, Wellcherline, Rosália, João Brito, Artur, Andréa e Adriana, além de Gilbraz. Pesquisadores das religiões na Católica de Pernambuco, permutaram suas publicações e apresentaram comunicações no simpósio “Espiritualidades Contemporâneas, Pluralidade Religiosa e Diálogo”, promovido pelo Grupo de Trabalho que se reúne há sete anos nos grandes encontros da área, como os da SOTER e o da ANPTECRE, e é coordenado pelo professor Gilbraz Aragão, da UNICAP, junto com Roberlei Panasiewicz (PUC Minas, MG) e Cláudio Ribeiro (UMESP, SP). As discussões no GT, que acolheu 23 comunicações científicas em dois dias de estudo, lembram que vivemos em toda parte um contexto de pluralismo que desafia e convida as espiritualidades a entrarem em diálogo. Sem negar o que há de único em cada religião, trata-se de perceber, no convívio com a diversidade, a experiência humana comum a todas. Incluindo nessas espiritualidades aquelas expressões laicas e sem deus, o Grupo segue aprofundando, com essa incursão internacional, a busca por uma mística trans-religiosa para o nosso tempo de transformações culturais.

Os congressistas tiveram uma recepção na Câmara Municipal de Lisboa no dia 8 às 18h. A abertura dos trabalhos na Lusófona foi no dia 9 às 10h, logo após a inauguração da exposição Terra Justa – Caminho das Causas, sobre grandes causas e valores da humanidade, que percorre todo o campus universitário, no bairro de Campo Grande. Nessa noite, o Auditório Agostinho da Silva recebeu também um concerto musical multiétnico e multi-religioso. No dia 11 foi inaugurada, no edifício U, a exposição Observar para a Liberdade, organizada pelo Observatório para a Liberdade Religiosa da Universidade. E, paralelamente às atividades acadêmicas, os participantes do Congresso estão fazendo visitas guiadas a localidades espirituais da região, como a Sinagoga, a Mesquita e o Centro Ismaili, o Templo Sikh, o Templo Hindu e o Museu Maçônico de Lisboa, além do Santuário de Fátima. Para a delegação da Universidade Católica de Pernambuco, essa peregrinação cultural, entre sardinhas e fados dos irmãos portugueses, está trazendo novas paisagens para a alma de cada um, e o Congresso, onde a comunicação é favorecida pela proximidade linguística, está abrindo novas portas para trocas acadêmicas e cooperação no estudo das religiões. Já estamos todos com saudades do futuro!

 

WP_20150509_004

 

Baixe por aqui os Anais (Vol. XV) do Congresso Lusófono 2015

.

.

4 comentários Adicione o seu

  1. jose alvino ferreira disse:

    gostaria por gentileza ser avizado do proximo congresso.e outro estudos Religiao de matriz africana.e cursos .obrigado sem mas p o momento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *