Acontece caminhada rumo aos 75 anos da Unicap

Artur Peregrino[1]

Por iniciativa do Instituto Humanitas Unicap – IHU-, realizou-se, neste sábado, 7 de outubro, mais uma vez, a tradicional caminhada da Unicap à Sé de Olinda, intitulada “El caminho de Hurtado”.

Santo Alberto Hurtado foi um padre jesuíta chileno (1901 – 1952) que assumiu uma missão em favor dos mais pobres na sociedade chilena. Criou o “Hogar de Cristo”, onde os necessitados eram acolhidos e amparados. Seu voluntariado social se tornou uma referência para os jovens que pensam em um mundo solidário.

A caminhada teve início na sala do Humanitas. A inspiração da música “Estrada de Canindé”, de Luiz Gonzaga, abriu o momento de apresentação dos 25 participantes. O grupo era composto por estudantes (graduação e pós), funcionários e professores da Unicap. O momento expressava, de fato, o sentido de uma universidade comunitária.

Em frente à capela da Unicap, aconteceu um momento de espiritualidade. O Grupo Capoeira Chapéu de Couro, orientado pelo Mestre Corisco, possibilitou um momento de mística da capoeira. Esse momento deu o impulso inicial para começar a caminhada. Tivemos vários toques de capoeira: Angola, São Bento, Santa Maria… Momento rico em humanidade e espiritualidade que foi concluído com exercícios de respiração e alongamento. Já no início da caminhada, a consciência do corpo estava presente.

Iniciamos a caminhada em direção à Rua do Lima. A chegada na Igrejinha da Piedade propiciou um momento de silêncio interior. O padre Caetano Pereira, professor da Unicap e vigário da paróquia, nos dirigiu uma palavra de acolhida. Fez uma explanação do trabalho social que faz à comunidade. Diariamente serve 120 refeições para os pobres do entorno. Isso acontece em uma casa chamada de “Maison de Pietá”.

Outro momento rico na Igrejinha da Piedade foi a reflexão feita pelo padre jesuíta André, que é também professor da Unicap. Ele explanou sobre o padre Santo Alberto Hurtado, sua vida e missão. Os jovens universitários estavam muito atentos a esse testemunho de alguém de longe e ao mesmo tempo tão perto. As experiências se atualizam nos dias de hoje. Cada caminhante recebeu uma folha com reflexões de Santo Alberto Hurtado e indicações de textos bíblicos para continuar o aprofundamento em casa.

Voltando para a estrada pegamos a grande avenida Cruz Cabugá, que nos levaria para Olinda. Chegamos ao Alto da Sé exatamente às 18h. A estrada foi-nos ensinando que é necessário esperar um pelo outro. Afinal é uma comunidade a caminho.

Ao chegar à Igreja da Sé, catedral de São Salvador, tivemos uma surpresa agradável. O Reitor da Uncap, Pe. Pedro Rubens, estava no interior da Igreja nos esperando. Ainda no interior da Igreja visitamos os túmulos de Dom Hélder Câmera e Pe. Henrique Pereira. Figuras históricas da Arquidiocese de Recife e Olinda.

Recordamos a importância do Dom Hélder para a Igreja do Brasil e o do mundo e seu colaborador Pe. Henrique Pereira, que foi assassinado pela ditatura militar em 1969. Dom Hélder recebeu o título de “doutor honoris causa” da Unicap. Um fato importante foi lembrado pelo Reitor da Unicap, Pe. Pedro Rubem: “em 27 de junho de 1968, quando Dom Hélder foi mediador no famoso ‘cerco da polícia à católica’. Depois de uma manifestação no centro do Recife, estudantes correram e entraram na Unicap. A universidade fechou os portões e a tensão ficou dentro e fora. Havia cerca de 300 soldados na Rua do Príncipe, esperando apenas uma ordem para invadir o campus e prender todo mundo. Nesse contexto, surge alguém que atravessa o “cerco”, dizendo ‘com licença, boa noite’ ao passar por cada militar. Em seguida, diante dos universitários, subiu em uma cadeira e afirmou: ‘Eu vim para ficar ao seu lado. Alegro-me que padres, professores e operários estejam com vocês, pois sua luta é a luta do povo”, disse dom Dom Hélder. Por fim, o Dom da Paz reuniu-se com governantes e obteve o fim do cerco e a liberdade de outros nove estudantes”.

De fato, a própria caminhada foi um “Aulão de Humanidade”. A caminhada propiciou momentos de escuta e discernimento, e correspondeu ao próprio espírito da Unicap, que é formar homens e mulheres que saibam ver e escutar, sentir e entender a realidade; que saibam julgar e discernir e, em seguida, possam atuar para tornar nosso mundo um pouco melhor.

Por fim, o belo terraço nos esperava juntamente com uma tapioqueira para concluir a caminhada com chave de ouro. As tapiocas de vários tipos alegraram o momento festivo de partilha.

Já no final, tivemos outra surpresa. Surgiu a lua cheia pairando sobre o mar. Esplêndida e belíssima imagem. As fotos e a filmagem, no serviço de Luca Pacheco da Assecom da Unicap, documentaram esses momentos inesquecíveis. Tudo que foi vivido acendeu no coração de cada participante as palavras de Santo Alberto Hurtado: “um fogo que acende outros fogos”.

[1] Professor do Curso de Teologia na UNICAP e integrante do Instituto Humanitas – IHU UNICAP. Email: arturperegrino@gmail.com

 

Print Friendly, PDF & Email

outubro 10th, 2017 Postado por : Jose Maria Arquivado em: Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta:

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios*