Exposição na Biblioteca da Unicap lembra os Mártires de El Salvador

martires

Neste domingo, 16 de novembro, o mundo homenageia os chamados “mártires de El Salvador”, seis padres jesuítas membros da Universidade Centro Americana “José Simeón Cañas” (UCA) e duas funcionárias da mesma universidade, que há 25 anos foram brutalmente assassinados por forças ligadas ao governo do país – na época uma ditadura oligárquica -, pela forte oposição que a instituição representava.

Com o objetivo de participar das homenagens, a Universidade Católica de Pernambuco, através do Instituto Humanitas Unicap, está realizando durante todo o mês de novembro, na entrada de sua Biblioteca, uma mostra contendo cartazes que são expostos anualmente em El Salvador para lembrar a data.

Os mártires

Na noite de 16 de novembro de 1989, seis padres jesuítas foram retirados de suas camas por homens armados e levados para fora da residência onde moravam, dentro do campus da Universidade. No gramado do lado de fora da residência, eles foram torturados e mortos. Eram eles: o Reitor e o Vice-reitor da UCA, Ignacio Ellacuría e Ignacio Martín-Baró; o Diretor do Instituto de Direitos Humanos da Universidade, Segundo Montes; o Diretor da Biblioteca de Teologia, Juan Ramón Moreno; o Professor de Teologia, Armando López; e o Fundador da Universidade, Joaquín López y López.

Também foram assassinadas a senhora Júlia Elba Ramos e sua filha, Celina Mariceth Ramos, que estavam dormindo na residência. Por infeliz coincidência, Elba, que trabalhava como cozinheira na Universidade, pediu para passar ali aquela noite, por medo de atravessar a cidade e ir para casa numa época em que as tensões e a violência entre os rebeldes e as forças ligadas ao governo ficavam ainda maiores.

Jon Sobrino, padre jesuíta e teólogo da Teologia da Libertação, também morava naquela residência da Universidade, mas estava fora do país na época das mortes.

Num primeiro momento, o governo acusou os rebeldes de esquerda de serem os responsáveis pelos assassinatos. Mas evidências foram mostrando que os envolvidos eram, mais provavelmente, paramilitares do Exército salvadorenho, que puseram fim à vida dos jesuítas numa tentativa de calar a forte oposição feita por membros da igreja católica e por membros da UCA, em especial Ignacio Ellacuría. Reitor da Universidade e filósofo por formação, Ellacuría buscava engajar todos os cursos da instituição na busca por melhorias para o povo, e pregava ideias que batiam de frente com os ideais do governo.

Não era a primeira vez que membros do eclesiástico eram mortos naquele período no país por conta de suas ideias. Em 1977 foi assassinado o Padre Rutilio Grande e, em 1980, o Arcebispo de El Salvador, dom Oscar Romero.

A morte dos seis padres e das duas mulheres não foi capaz de calar a oposição; pelo contrário, trouxe uma grande união por parte dos jesuítas de várias partes do mundo, que ficaram sensibilizados com a história. Até hoje, no mês de novembro, a data é lembrada com eventos que ocorrem em vários países.

Os cartazes

Os cartazes, que ficarão expostos na Biblioteca da Universidade Católica, foram trazidos para Recife de El Salvador por Padre Marcos Augusto, colaborador da Divisão de Ação Social da Unicap (DAS).

Padre Marcos, que em 1989 ainda estava decidindo se ingressava ou não na vida religiosa, ficou profundamente comovido com a notícia das mortes e com as reações que as mesmas provocaram no grupo religioso ao redor do mundo.

Há dois meses, ele teve a oportunidade de visitar a América Central, representando a Unicap. Foi com o objetivo de trazer obras produzidas por Ellacuría para a Universidade que Padre Marcos chegou a El Salvador. Ele acabou por visitar o local onde os mártires foram mortos, local esse que hoje possui um memorial, e onde os cartazes estavam sendo vendidos como souvenirs.

Padre Marcos lamenta que essa ocasião não seja tão lembrada no Brasil quanto em outros países, e acredita que essa exposição simbolize uma união da Universidade Católica de Pernambuco com outras universidades jesuítas, e serve com uma lembrança do compromisso social das mesmas. Segundo ele: “Essa exposição dá esse destaque, de como a Universidade Católica possa estar unida com essa rede de universidades jesuítas na América Latina, Europa e na América do Norte, que estão recordando esses 25 anos que marcaram muito a vida da Companhia de Jesus, dos jesuítas, e a vida das nossas universidades, que mostra que as nossas universidades têm um compromisso social, têm uma responsabilidade social e que a gente não pode negar isso. Muitas vezes esse compromisso social é tão forte, tão forte que pode levar a situações como essa”.

Print Friendly

novembro 14th, 2014 Postado por : Jose Maria Arquivado em: Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta:

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios*