Poema de Andrea Campos, por ocasião da 12ª Semana da Mulher na Unicap

Vidas em voo tráfico

(Andrea Campos)

Corpos fatiados,
emoções exauridas,
Sonhos esfumaçados,
alegrias perdidas.
Carnes putrefatas,
famílias divididas,
Destinos sem volta,
Passagens só de ida.
No coração um cemitério
Pulsando almas penadas
Fantasia sem mistério
de penas dilaceradas.
Sorrisos embotados
Histórias silenciadas,
Medos redobrados
Esperanças amordaçadas.
Promessas descumpridas,
Sequestro de ilusões,
Palavras desmentidas,
Angústias, provações,
Mil noites mal dormidas,
Demônios e dragões.
É quando um gozo arguto
Se acelera em comichão
E do terror dissoluto
Vai gestando uma oração,
Nela estão a mãe e um filho
Enlaçados num só ventre
Nela está plantado um trilho
A ser trilhado sobre e dentre.
Então, uma luz se aproxima
E uma nova criança nos é dada
Um novo futuro se alucina
E ela nascerá imaculada,
Se redimida, se explorada
Ela é a nossa filha,
a sua sorte nos é lançada,
Se seremos mães e pais
De uma vida dissipada,
Essa escolha cabe a nós,
Nos desafia e pede mais,
Perde tudo ou ganha nada:
Pois será em nós que ela acordará viva,
Ou será em nós que ela dormirá sepultada.

Print Friendly, PDF & Email
março 19th, 2014 Postado por : Jose Maria Arquivado em: Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta:

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios*