Economia Solidária é tema de reunião na Universidade Católica de Pernambuco

DSCN4010Na última quarta-feira (29), foi realizada na Universidade Católica de Pernambuco uma reunião com o objetivo de debater a questão da economia solidária dentro da universidade e sua ligação com os diversos setores relacionados ao assunto. O encontro foi intermediado pelo Pró-reitor Comunitário, Padre Lúcio Flávio Cirne. “A nossa preocupação não é só a questão do viés econômico, mas também a  do social sem esquecer a dimensão ambiental. Esta reunião é importante porque, através do Humanitas, estamos colocando na mesma mesa uma pauta de discussão que envolve diferentes atores:  empreendimentos econômicos solidários, entidades do terceiro setor e representantes dos poderes públicos”, afirma.

Dentre os participantes, estavam representantes da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado, da Cooperação Internacional, União dos Empreendedores da Economia Solidária, Rede de Educadores da Economia Solidária e da Central Única dos Trabalhadores. A importância do Humanitas neste processo de desenvolvimento da economia solidária foi bastante debatida. Maria Dias, representante da Celpe, ratificou: “A gente tem procurado trabalhar com produção de arte nas comunidades. O Instituto Humanitas tem fomentado as ideias que nós colocamos nessas comunidades e essa ajuda tem sido muito valiosa”.

Propostas de construção de ações que interliguem as experiências concretas vividas pelos membros e os processos formadores, a questão da autogestão e decisões coletivas foram alguns dos temas abordados pelos presentes. Eliane Cabral, representante da Prefeitura do Recife, falou um pouco sobre a participação da prefeitura no processo de implantação dos projetos: “A lógica das políticas é trabalhar de maneira integrada e complementar. É uma oportunidade que aproveitamos para nos colocarmos à disposição, para que se possa ampliar o espaço de maneira sistematizada e possa gerar resultados efetivos para a evolução da economia solidária”.

Um dos representantes da Cooperação Internacional, o italiano Alessandro Alberani, comentou sobre as novidades da economia solidária na Europa: “Creio que nesses anos o Brasil está dando muitas lições à Europa. A Europa definiu a economia social, mas não a economia solidária. A economia social está ligada a associações e cooperativas. Deve haver renda, solidariedade, criar postos de trabalho e coesão social. As associações de economia solidária pediram para ser reconhecidas dentro da economia social. Assim, a Europa decidiu dar uma definição às economias solidárias. Ela deve colocar no centro a pessoa, valorizar as relações, ocupar-se do ambiente, defender os princípios da solidariedade e operar em: consumo, balanço da justiça, grupo de aquisição solidária, comércio solidário, finanças éticas, turismo responsável, agricultura biológica e cooperativa de produção”.

 

Print Friendly, PDF & Email
junho 03rd, 2013 Postado por : vieira Arquivado em: Eventos, Notícias, Projetos, Publicações

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta: