Virada Pascal movimenta a comunidade acadêmica com um dia inteiro de atividades

Foto: Carolina Nogueira

Por Rodrigo Sobreira, Carolina Oliveira e Gabriela Almeida

A Páscoa foi comemorada na Católica no dia 11 de abril com um dia inteiro de atividades, reunindo professores, alunos e funcionários. A Virada Pascal, coordenada pelo Instituto Humanitas, teve início às 6h40 com a Celebração Eucarística na Capela da Universidade Católica de Pernambuco. A missa foi presidida pelo Padre Jacques Trudel, que trabalha como professor da Universidade desde 1975, no curso de Teologia.

Celebração Pascal

O padre Jaime, como é mais conhecido, comentou que ficou bastante satisfeito com o número significativo de pessoas que participaram da celebração. Ao mesmo tempo, lamentou a banalização da Semana Santa, onde as pessoas se envolvem em festas e esquecem o real motivo desta data, mostrando como é importante lembrar o Cristo ressuscitado.

Professora Fátima Falcão

A professora do curso de Direito Fátima Falcão participou da celebração e falou que todos os dias antes de dar aula, ela assiste à missa. E comentou também que faz parte do coral.

Prosseguindo  com a Virada Pascal, aconteceu às 8h um minicurso  sobre “Logoterapia e Análise Existencial”, ministrado pelo professor Thiago Antônio Avelar de Aquino, da Universidade Federal da Paraíba. A palestra foi realizada no auditório do bloco D. Durante a aula, o professor explicou que a Logoterapia procura criar no paciente uma consciência para a própria responsabilidade, além de tratar dos princípios básicos da Logoterapia e Análise Existencial de Viktor Frankl, o criador da ideia.

Professor Antônio Avelar

Por volta das 12h20, aconteceu na Capela a oração “Ressurreição: a vida de Cristo na vida da gente”.

 

 

 

 

Para um trabalho da disciplina de Ergonomia e Doenças do Trabalho, a aluna Dayse Holanda conduz os exercícios de Dayvid Banner, Francys do Nascimento e Filipe Dias

No turno da tarde, os alunos do curso de Fisioterapia deram continuidade à Virada Pascal. Com muito exercício no jardim, situado no bloco G, o evento se prolongava com Ginástica Laboral, além de massagens oferecidas não só aos funcionários, mas também às pessoas que passavam pela Católica.

A Professora do curso de Fisioterapia, Maria Goretti Fernandes

A professora da disciplina Ergonomia e Doenças do Trabalho, Maria Goretti Fernandes, destacou: “A Virada Pascal chama atenção para a promoção da saúde, em consonância com o tema da Campanha da Fraternidade deste ano. Então, hoje, trabalhamos tanto com pessoas da comunidade Unicap, como com pessoas de fora, que estão passando por aqui. Oferecemos massagens e orientações sobre a saúde, e resolvemos fazer essa atividade no jardim por ser um ambiente aberto, agradável, que oferece um maior contato com a natureza”.

Às 17 horas, o professor do curso de Ciências da Religião da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Thiago Avellar de Aquino deu início a mais uma palestra sobre a Logoterapia e Análise Existencial do Sentido da Vida. O momento contou com a exibição de um vídeo de cerca de 30 minutos que trazia uma entrevista com Viktor Frankl, criador da Logoterapia.

Mais tarde, no Espaço Loyola, a professora do curso de Fisioterapia Francisca Mota realizou uma sessão de quarenta e cinco minutos com um trabalho voltado para as mãos, exercendo uma busca espiritual. “O nosso foco foi o trabalho das mãos, mas envolvemos também os demais membros superiores, em um exercício na posição sentada, investindo também nas pernas e pés”, afirmou. Por fim, os presentes se exercitaram em círculo, o que desenvolveu o conceito da solidariedade e do mutualismo.

Já durante a noite, a Virada Pascal promoveu uma celebração diferente. Um momento de oração no estilo Taizé. A ideia partiu da professora do curso de Teologia da Unicap e integrante do Instituto Humanitas, Maria Abrão, com ajuda de Jéferson Amorim e Ângela do Carmo, que integram o projeto intitulado Alumia, que significa dar luz.

A Professora do curso de Fisioterapia, Francisca Mota, instrui a Irmã Rosário, do Instituto Humanitas; Conceição Rodrigues, da Pró-reitoria Comunitária ; o Pró-reitor Comunitário, Pe. Lúcio Flávio e Djanilson Canuto Martins, aluno do curso de Teologia

“Esse é um momento de oração no estilo Taizé”, explicou a professora Maria Abrão, se referindo ao formato de oração em grupo proposto pela comunidade francesa de Taizé, que organiza orações baseadas em mantras, reflexões e momentos de silêncio. Para esta primeira quarta-feira, que ocorreu dentro das celebrações da Virada Pascal, o Alumia preparou atividades específicas voltadas para o momento, mas faz questão de ressaltar que novidades estarão por vir.

A ideia do grupo partiu da preocupação para a preparação dos jovens para a Jornada da Juventude do próximo ano, que acontecerá no Rio de Janeiro. Serão sessões de no máximo 30 (trinta) minutos de músicas e silêncio.

No fim da oração, para encerrar a noite, em frente à Capela, o Grupo de Capoeira da Unicap, coordenado pelo mestre Corisco, fez uma apresentação dos alunos. “O jogo de capoeira também foi, e é, a luz trazida pelos nossos ancestrais”, falou o mestre, que está à frente do projeto desde o seu início, há 29 anos. Além de atender à comunidade acadêmica da Unicap, o grupo tem há 10 anos um projeto que atende crianças e jovens com Síndrome de Down.

“Escolhemos a capoeira porque valorizamos nossas raízes negras. Sou participante ativo do movimento negro e acho importante esse contato para meu filho. Fiquei sabendo que a Unicap oferecia aulas de capoeira para crianças com Down e procurei me informar. Hoje Isac tem um ano no grupo e só vejo melhoras. No começo, ele ficava um pouco acanhado, mas hoje até o mestre já comenta conosco o progresso dele”, falou todo satisfeito Carlos Quilombos, pai do pequeno Isac Olímpio, que com apenas 9 anos já é um grande capoeirista.

image_print
abril 18th, 2012 Postado por admin Arquivado em: Eventos, Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta: