Pesquisadores debatem os ataques de 11 de setembro

por Daniel França do Boletim Unicap

O mundo mudou depois dos ataques às torres gêmeas do World Trade Center? Quais as razões que motivaram o maior atentanto terrorista já vivido pela humanidade? Esses foram alguns dos questionamentos colocados durante a palestra O Mito do 11 de setembro, 10 anos depois, realizado na tarde desta segunda-feira (12) no auditório do CTCH pelo Instituto Humanitas Unicap.

A plateia interagiu com os palestrantes fazendo perguntas

O evento teve como palestrantes o assessor de Relações Internacionais da Católica, professor Thales Castro, e o pesquisador independente Leonardo do Rêgo Barros de Brito, funcionário da Assessoria de Planejamento da Universidade (Asseplan) e aluno do MBA em Gestão de Negócios. Ele abriu os trabalhos alertando para a possibilidade de o mundo estar caminhando para a 3ª Grande Guerra.

Segundo Leonardo, os motivos para os grandes conflitos vão sendo construidos com o tempo. Ele citou como exemplo a Primeira Guerra Mundial quando navio Lusitânia foi afundado em águas alemãs matando 1.200 pessoas. “Na verdade esta não foi a causa principal e sim o estopim”, explica ao mencionar o ataque japonês à base americana de Pearl Harbor. “Os Estados Unidos já vinham desafiando os japoneses há muito tempo com empréstimos à China e apoio à Inglaterra”, disse se referindo à 2ª Guerra Mundial.

Para Leonardo, o ataque às torres gêmeas serviram de motivo para as guerras dos EUA contra o Iraque e Afeganistão. De acordo com ele, sob o pretexto de combater o terror, os americanos passaram a montar bases no oriente médio para construir um observatório privilegiado do Irã. País que, segundo o pesquisador, oferece risco aos americanos pelo seu alto poder bélico e por sua corrida armamentista nuclear, além dos estreitos laços com China e Rússia. “Ainda hoje não há evidências cabais de que aqueles 19 sequestradores estiveram realmente por trás do 11 de setembro”, diz Leonardo.

Logo em seguida foi a vez do professor Thales Castro falar. Para ele, os atentados ao WTC não mudaram a ordem mundial vigente. “Na verdade, o atentado expôs a erosão da liderança americana. O que mudou? O conceito de guerra. Antes entre países, agora entre Estados e entidades (Al Qaeda). Há modificações no conceito de paz e de inimigo”.

Thales também concorda que os atentados em Nova York aceleraram outros conflitos como no Iraque e Afeganistão.  Aproveitando um mapa mostrado por Leonardo, ele ilustrou a presença de militares americanos num verdadeiro cinturão que vai da Europa aos países do Oriente Médio, cercando o Irã.

Thales citou o professor Samuel Huntington, ultradireitista da Universidade de Harvard, que defende a teoria de que o mundo é composto por nove grandes civilizações e que o islã entrará em conflito “inconciliável” com o Ocidente. “Apesar da conjuntura, não acredito que os EUA entrem numa guerra tão cedo. Até porque eles estão sem orçamento para isso”.

Print Friendly, PDF & Email
setembro 12th, 2011 Postado por : admin Arquivado em: Eventos, Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta:

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios*