Enfoque na Teoria da Espiritualidade Inaciana marca 3º dia do Congresso de Educação Jesuíta

Do boletim ASSECOM por Rafael Saboia

 

Fotos: Marina Maranhão e Rafael Sabóia

Em seu terceiro dia, o Congresso de Educação Jesuíta: Rumo às novas fronteiras, começou com o pronunciamento do Pe.Ignácio Suñol, Coordenador Geral da Federação Internacional de Fé e Alegria.Ele destacou a atuação internacional da Educação Jesuíta. “O Fé e Alegria enxerga o mundo, como um lugar onde todas as pessoas possam desenvolver suas atividades normalmente. Procuramos por uma sociedade mais justa e igual para todos”, disse.

Ainda em seu pronunciamento de abertura, Pe. Ignácio definiu o conceito do Fé e Alegria como sendo um Movimento de Educação Integrada uniria a todos os povos em prol de Deus. Ele concluiu a sua participação no evento questionando o conceito de desenvolvimento autoproclamado por algumas nações.

Logo após o pronunciamento, houve um momento celebrativo no qual o grupo Liturgia fez uma apresentação ao vivo e juntamente com os congressistas fizeram uma oração do dia. O grupo ainda apresentou uma reflexão a respeito do Eixo Religioso denominado de “Compromisso”. Os integrantes do grupo Liturgia, também apresentaram um trailer de cinema que mostra um documentário sobre a vida do ex-arcebispo de Olinda e Recife  Dom Hélder Câmara, que chegará aos cinemas em breve.

Ao término da exibição do trailer, os músicos convidaram a todos os congressistas a se confraternizarem e também cantaram parabéns para os que estavam fazendo aniversário durante os dias de realização do congresso, dias 12, 13, 14 e 15 de Julho.

A segunda parte da cerimônia foi marcada pela palestra do Pe. Alfredo Sampaio, professor de teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC – RJ), que abordou como a espiritualidade está na base da educação Inaciana e como a experiência de Santo Inácio pode fazer com que nós descubramos todos os princípios pedagógicos que depois vão estar na educação jesuíta. “Minha expectativa nessa palestra é conseguir articular o eixo espiritualidade com os eixos anteriormente apresentados nas palestras de ontem, o cultural, o social e assim preparar o conteúdo do que vai ser apresentado nas palestras de hoje à tarde.

Antes mesmo de começar a palestra, Pe. Alfredo homenageou funcionários e ex-alunos do Colégio Santo Inácio do Rio de Janeiro. Ele relembrou a época em que foi professor e a partir daí apresentou pontos de vista da teoria Inaciana, quanto à compreensão da Educação Jesuíta. “Se quisermos saber como educar adequadamente nossas crianças, jovens e adultos, devemos sempre estar atentos aos laços de família”, discursou Pe.Alfredo Sampaio.

A terceira parte do evento foi destinada aos trabalhos trazidos por congressistas do Fé e Alegria de todo o Brasil. Todos os seminários foram novamente apresentados nas salas do 2 º andar do bloco G da Unicap.

Os trabalhos apresentados no 3º dia de congresso foram: “Pedagogia Inaciana – Grupo de Trabalho 29”, apresentado pelos professores Laez e Lucimary, do Colégio São Luís- Província Centro Leste (SP), na sala Ciranda; “Educar para preservar”, de Ariclenes de Freitas, da Escola Santo Afonço Rodrigues (PI), na sala Coco; “Ser educando: brincar, conviver e aprender”, de Valério Sartor S.J, do Fé e Alegria (RS), na sala Frevo; “Celebração da Vida”, de Wanderlay Balsamão, do Fé e Alegria (MG), apresentado na sala Troça; “Integração de Idade: Aprender a conviver e respeitar os limites”, trabalho de Cristiane Bicalho, do Fé e Alegria (SP), na sala Afoxé; e “Arte e Natureza”, de Izabela Maganhães  Sousa, do Colégio Santo Inácio (RJ), apresentado na sala Maracatu.

No final da manhã, houve plenária na qual foram discutidos e debatidos os resultados dos trabalhos apresentados pelos congressistas na salas de aula e também os comentários a respeito da Palestra Geral Eixo III, que teve como palestrante o Pe. Alfredo Sampaio.

Na plenária estavam presentes como debatedores, o próprio Pe. Alfredo Sampaio, PUC (RJ); Wanderlay, Fé e Alegria (MG), coordenador da mesa de debates; Pe. Eduardo Henriques, Reitor do Colégio São Francisco Xavier e o Pe. Clovis Cabral, Coordenador do centro de Estudos Afro-Brasileiros Indígenas da Unicap (NEABI).

Os componentes da banca debatedora expuseram seus pontos de vista a respeito do que foi dito por Pe. Alfredo Sampaio em sua palestra. O primeiro a se pronunciar foi o Pe. Eduardo Henriques, que se deteve a falar sobre as fronteiras, articulando com a espiritualidade na pedagogia Inaciana. O páraco do Colégio São Francisco Xavier também comentou em sua fala, sobre a questão da criação de instituições jesuítas, criadas pela Companhia de Jesus, a fim de fazer com que o homem possa compreender a existência de si e para onde ele irá após o término de sua missão.

O segundo a tomar a palavra foi o Pe. Clovis Cabral, coordenador do centro de Estudos Afro-Brasileiros Indígenas da Unicap (NEABI). O reverendo comentou um pouco sobre as suas experiências dentro do centro de estudos na Universidade e lembrou da inclusão do estudo obrigatório na disciplina de História sobre a cultura Afro-brasileira no Brasil, como também ressaltou a existência do Curso de Extensão de História da Cultura Afro-brasileira, coordenado pelo NEABI. Ele ainda comentou a teologia espiritual na pedagogia, com base nos estudos sobre a espiritualidade de Santo Inácio. “Santo Inácio compreende a espiritualidade, a partir do momento em que entendemos a espiritualidade do outro que nos cerca”, disse Pe. Clovis Cabral.

O segundo bloco da plenária foi dedicado a perguntas feitas pelos congressistas. Por volta das 12h30, foram finalizadas as atividades na parte da manhã, do Congresso de Educação Jesuíta. Os congressistas participaram de um almoço e retornaram às 14h para a segunda parte de atividades do congresso.

Print Friendly, PDF & Email
julho 14th, 2011 Postado por : admin Arquivado em: Eventos, Notícias

Seja o primeiro a comentar Deixe uma resposta:

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios*