Medicina
medicina-foto

 

Sobre o Curso                                                                                                                                            Atualizado em 15/09/2017

Sobre o Curso

Modalidade: Bacharelado
Autorização PORTARIA Nº 234, DE 15 DE ABRIL DE 2014, publicado no DOU p 15, Seção 1, 16/04/2014
Turnos Oferecido: Integral
Carga horária: 8.705 horas
Duração do curso: 12 períodos (mínimo); 18 períodos (máximo)
Créditos: 567 créditos obrigatórios e eletivos
Coordenação: Profª Dra. Erideise Gurgel da Costa
Secretaria do curso: Bloco B – Térreo – fone: (81) 2119-4172

 Objetivos

Objetivos Gerais

  • Desenvolver uma formação profissional comprometida com a promoção e atenção à saúde da mulher, da criança, do adolescente, do adulto e do idoso, enfatizando-se a reorientação das estratégias no modo de tratar, cuidar e acompanhar a saúde individual e a coletiva, em diferentes contextos de atuação profissional, assim como a busca da educação permanente, enquanto pressuposto para a transformação das práticas profissionais, a partir da reflexão-ação em redes de serviços de saúde.
  • Formar o médico em uma única habilitação, baseada nas novas Diretrizes Curriculares contidas na Resolução CNE/CES nº4, de 7 de novembro de 2001.
  • Formar o médico generalista, com visão solidária, humanista, crítica e reflexiva, capaz de atuar com princípios éticos, no processo saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com responsabilidade social, compromisso com a cidadania. Essa formação é necessária, pois a principal justificativa para o tipo de médico que queremos formar é que esse deverá ser um promotor da saúde integral do ser humano, compreendendo não só o indivíduo, mas também a sua comunidade, intervindo em suas necessidades de saúde e na qualidade da vida, em situação social específica, objetivando a redução dos danos e ampliando a autonomia social.

Perfil Profissional

Perfil Profissional

As Diretrizes Curriculares Nacionais – DCN para o curso de Graduação em Medicina (2001) definem o seguinte perfil do Egresso: Médico com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação. e reabilitação da saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.

Baseando-se nas diretrizes citadas, propõe-se a formação de um profissional com as seguintes características:

  • Formação ética e humanista
  • Capacidade crítica e reflexiva
  • Capacidade de atuação cooperativa e integrada
  • Capacidade de liderança, administrativa e de gerenciamento
  • Capacidade pedagógica

Mercado de Trabalho

As Áreas de Atuação profissional do Médico são múltiplas. Com a consolidação do SUS, a alta complexidade de serviços públicos e  privados e o crescimento da população, tem-se criado muitas  vagas em várias áreas de atuação da Medicina.  Dentre os campos de atuação do Médico,  podem-se citar:

  • Hospitais;
  • Estratégia Saúde da Família;
  • Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- SAMU;
  • Medicina do trabalho;
  • Medicina off-shore ( Navios, Plataformas de petróleo) – Sintonia com SUAPE;
  • Hospital Residência
  • Ambulatórios;
  • Serviços de Emergência;
  • Escolas e Clínicas Especializadas nas diversas áreas da Medicina;
  • Centros de saúde;
  • Laboratórios;
  • Empresas;
  • Consultórios particulares ;
  • Instituições de Ensino e de Pesquisa;
  • Docência Universitária;
  • Acessorias em Auditoria médica;
  • Unidades de Pronto Atendimento 24 horas – UPAS-24horas;
  • Maternidades entre outras.

Atividades Complementares

Atividades Complementares

As Atividades Complementares serão distribuídas no decorrer dos módulos, sendo considerados para sua somatória os projetos de extensão, estágios extracurriculares, participação em eventos científicos, preparação dos seminários integrados iniciação científica, pesquisas e atividades de ensino sob a forma de monitoria e outros que venham a ser definidos pelo Colegiado do Curso de acordo com o artigo 8º das DCN de medicina, Resolução CNE/CES 04/2001 Conselho do Curso. O aluno deverá cumprir pelo menos 200 horas de atividades complementares cuja validação obedecerá à Resolução CONSEPE nº 09/2005, de 06.05.2005, que aprova a implantação das diretrizes para as Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da UNICAP.

As atividades terão o objetivo de fomentar a realização, pelo aluno, de atividades complementares à sala de aula, com o intuito de ampliar e flexibilizar a sua formação, incentivar a pesquisa, o trabalho voluntário, o aprofundamento teórico e a prática.

As Atividades Complementares permitirão aos alunos desenvolverem as seguintes Habilidades e Competências:

  • Desenvolvimento de pensamento crítico e reflexivo
  • Compreensão e adaptação da sua prática ao contexto humanístico, cultural e socioeconômico.
  • Conhecimento do estado e da região
  • Atitudes solidária, ética e humanista
  • Interação social
  • Capacidade de liderança
  • Conhecimento de antropologia em saúde
  • Habilidades de comunicação e educação em saúde
  • Conhecimento e habilidades em relações intersetoriais
  • Conhecimento de práticas de pesquisa
  • Conhecimento de metodologias de ensino.

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio curricular – internato

Os cursos de medicina, historicamente, têm como atividade final o estágio curricular de treinamento prático supervisionado, que recebe o nome de “Internato”, sendo parte integrante e obrigatória do currículo de graduação e tem por finalidade o treinamento em serviço, para sedimentação dos conhecimentos adquiridos durante o curso médico, sendo dirigido para atividades eminentemente práticas.

As Diretrizes Curriculares enfatizam que o Estágio Curricular é obrigatório e “etapa integrante da graduação, de treinamento em serviço, em regime de Internato, em serviços próprios ou conveniados, e sob supervisão direta dos docentes da própria Escola/Faculdade”.

O Estágio Curricular é a única parte do curso médico que merece detalhamento de carga horária nas diretrizes curriculares, devendo perfazer 35% da carga horária total do curso e determina que deve conter “necessariamente aspectos essenciais nas áreas de clínica médica, cirurgia, ginecologia-obstetrícia, pediatria e saúde Coletiva, devendo incluir atividades no primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção em cada área. Essas atividades devem ser eminentemente práticas e sua carga horária teórica não poderá ser superior a 20% do total do estágio”.

Tendo como referenciais essas diretrizes curriculares e a própria concepção do nosso projeto pedagógico, é que propomos o Internato no qual o aluno passará, nesses últimos dois anos do curso, por vários cenários de aprendizagem, como o hospital de ensino, hospitais de pequena e média complexidades, serviços de urgência-emergência, unidades básicas de saúde e equipes de saúde da família. Esses cenários de ensino-aprendizagem são considerados não apenas como o local onde se realizam as práticas, mas os espaços físico e humano onde estão incluídos os sujeitos nelas envolvidos, a natureza e o conteúdo do fazer na profissão médica. Incluem aspectos pedagógicos, morais e éticos, contribuindo para a transformação das políticas de saúde e de formação dos profissionais da área da saúde. O Internato será desenvolvido em hospitais conveniados e na Rede Pública de Saúde.

Grade e Corpo Docente
Medicina (26/07/2017)
Lei nº 13.168, de 06 de outubro de 2015.

Matriz Curricular

MATRIZ CURRICULAR –  CURRÍCULO 57.A.1I

Medicina – Integral