Engenharia-Química

Sobre o curso

  • ENTREGA DO TÍTULO DE DOUTOR HONORIS CAUSA A UM DOS MAIORES QUÍMICOS DO BRASIL
  • ALUNAS DE ENGENHARIA QUÍMICA CONQUISTAM 1º LUGAR NO PRÊMIO NACIONAL ODEBRECHT
  • 30 LABORATÓRIOS INTEGRAM AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
  • FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL AGORA FAZ PARTE DA GRADE CURRICULAR

Sobre o curso                                               Atualizado em 19/07/2017

Modalidade: Bacharelado
Reconhecimento:
Criação: Resolução do CONSUP/UNICAP nº 16 de 08/10/1976 Reconhecimento: Decreto Federal nº 358 de 19/05/1981, Diário Oficial da União (DOU) de 21/05/1981Última renovação de reconhecimento: Decreto Federal nº 29 de 26/03/2012, DOU de 28/03/2012
Turnos Oferecido:
Noite
Carga horária:
3.885 horas
Duração do curso:
10 períodos, mínimo; 18 períodos, máximo
Créditos:
251 obrigatórios e eletivos
Coordenação:
Prof. José Edson Gomes de Souza
Secretaria do CCT:
Bloco D – 1º andar- fone: (81) 2119-4168

Engenharia Quimica - Nota 4 no MECDentre os itens avaliados pelo MEC, com nota máxima,  destacam-se: Titulação do corpo docente do curso – percentual de doutores: Nota 5 Experiência de magistério superior do corpo docente: Nota 5 Bibliografia Básica: Nota 5 Bibliografia Complementar: Nota 5 Atuação do coordenador: Nota 5 •Notas na escala de 1 a 5

Objetivos

O Curso de Engenharia Química da UNICAP tem por objetivo formar engenheiros com espírito crítico e interesse pela pesquisa científica, capaz de atuar de forma competente e consciente, com segurança e maturidade suficientes para desempenhar as funções relacionadas ao exercício de sua profissão.

Perfil Profissional

O Perfil do Engenheiro Químico formado pela UNICAP requer sólida formação fundamental e profissional, capacidade de trabalhar em equipe e de utilizar recursos da Informática; flexível para empreender mudanças e conhecedor das técnicas básicas de avaliação da viabilidade econômica dos projetos em engenharia; aberto à permanente atualização profissional; sensível às questões ético-humanistas, sociais e ambientais. É ainda orientado para participar de: desenvolvimento de processos de fabricação; elaboração de novos métodos para a produção de produtos químicos; aperfeiçoamento de técnicas de extração, transformação e utilização de matérias-primas; acompanhamento da construção, montagem e funcionamento de instalações e fábricas da Indústria Química e de instalações de tratamento de resíduos.

Mercado de Trabalho

O Engenheiro Químico tem como campos de trabalho as seguintes indústrias: Petróleo, Petroquímica, Açúcar e álcool, Borracha sintética e seus produtos e películas, Cosméticos e perfumes, Catalisadores, Fármacos e bioprodutos, Fibras sintéticas e têxteis, Gases industriais, Óleos e gorduras, Insumos químicos para a agricultura, Papel e celulose, Plásticos e resinas, Química, Química fina, Refratários e cerâmicos, Sabões,  detergentes, tintas e vernizes. Além disso o Engenheiro Químico atua em institutos de pesquisas e em órgãos governamentais e laboratórios. Nesses campos, o Engenheiro Químico pode atuar nas áreas de Automação, Consultoria, Docência e treinamento, Engenharia de processos, Engenharia de produto e qualidade, Engenharia de segurança, Gestão de projeto, Gestão financeira, gestão tecnológica e Vendas e mercado. Como pesquisador, desenvolve novas técnicas e métodos de análise e otimização de processos produtivos.

Atividades Complementares

As Atividades Complementares são componentes curriculares de caráter científico, cultural e acadêmico cujo foco principal é o estímulo à prática de estudos independentes, transversais, opcionais e interdisciplinares, de forma a promover, em articulação com as demais atividades acadêmicas, o desenvolvimento intelectual do estudante, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Quando são efetivadas de acordo com as diretrizes da UNICAP, aprovadas pela Resolução CONSEPE/UNICAP nº 009/2005 de 06.05.2005, e promovem a aquisição de conhecimento e o desenvolvimento de competências e habilidades, verificados por meio de avaliação, serão validadas academicamente pela UNICAP, mesmo se realizadas em situações de aprendizagem fora da Universidade, desde que vinculadas ao mundo do trabalho e à prática social.

Estágio Supervisionado

O Estágio Supervisionado define-se como a atividade complementar e obrigatória de aprendizagem social, profissional e cultural que proporcionará ao estudante uma oportunidade de participar em situações reais de vida e trabalho junto à comunidade geral ou a pessoas jurídicas de direito público ou privado, sob a responsabilidade e coordenação da UNICAP. O Estágio Supervisionado obedecerá às Diretrizes Nacionais do Conselho Nacional de Educação e demais legislações em vigor.

Programas de Extensão

A extensão é entendida como prática acadêmica que aproxima a Universidade, nas suas atividades de ensino e pesquisa, às demandas da sociedade na qual ela está inserida, possibilitando, assim, a formação do profissional cidadão e caracterizando o ambiente universitário como espaço privilegiado de produção do conhecimento significativo para superação das desigualdades sociais existentes. Dentre os programas de Extensão desenvolvidos, destacam-se:

  • Quinta na Quimica
  • Prestação de serviço de análises laboratoriais
  • Cursos, Conferências, Seminários
  • Atividades Artístico-Culturais
  • Atividades Desportivas
  • Assistência à Saúde
  • Assistência Espiritual e Religiosa
  • Assistência Estudantil
  • Assistência Social
  • Assistência Jurídica Gratuita
  • Assistência Psicológica e Fonoaudiológica
  • Apoio aos Movimentos Populares
  • Unicap para a 3ª Idade
  • Projeto Horizonte

Iniciação Científica

O Programa Institucional de Base de Iniciação Científica – PIBIC/UNICAP foi implantado em 1998. Desde então, têm-se realizado as Jornadas de Iniciação Científica e a Mostra de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão, mobilizando as comunidades interna e externa. A partir de 2003, tais eventos foram reunidos e fazem parte da Semana de Integração Universidade-Sociedade. O PIBIC/UNICAP conta com 330 bolsas da própria instituição, nos moldes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), 30 bolsas do PIBIC/CNPq e 12 bolsas de Iniciação Científica da Fundação de Amparo à Ciência e à Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) por demanda espontânea.

Intercâmbio Estudantil

O Programa de Intercâmbio Estudantil oferecido pela UNICAP visa a propiciar aos alunos uma experiência acadêmica, durante um ou dois semestres, numa IES nacional ou internacional, através de convênios de cooperação mútua educacional. Esse Programa tem sua origem nas diretrizes da AUSJAL – Associação de Universidades confiadas à Companhia de Jesus na América Latina, que propõe a integração dos estudantes de IES jesuítas latino-americanas, como modalidade para complementar sua formação. Por outro lado, a UNICAP recebe estudantes estrangeiros das IES conveniadas que desejem realizar estudos de graduação por um ou dois semestres.

Processos de Avaliação

Acompanhamento e avaliação do Projeto Pedagógico do curso: Avaliação Institucional a UNICAP está realizando a auto-avaliação conforme o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), estabelecido pela Lei nº 10.861, de 14.04.2004. Avaliação do Aluno a avaliação é concebida como um dos mecanismos de acompanhamento da aprendizagem do aluno e se realiza de forma processual e diagnóstica, cujo o objetivo é atuar preventivamente na melhoria do desempenho dos alunos. Regime de Aprovação o regime de aprovação em cada disciplina obedece ao Regimento da UNICAP.

Laboratórios

Laboratórios

O  Curso conta com 30 (trinta) laboratórios para o desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão.

­­­­ Andar Sala Descrição

Área (m²)

D 8º andar 802 Laboratório deAnálises Químicas 130,38
D 7º andar 704 Laboratório de Bioengenharia 113,76
D 8º andar 805 Laboratório de Controle de Processos 40,92
D 6º andar 604 Laboratório de Físico-Química 74,88
D 8º andar 803 Laboratório de Instrumentação Analítica 36,50
D 8º andar 806 Laboratório de Processos da Engenharia 65,34
D 6º andar 602A Laboratório de Polímeros e Sensores 40,62
D 8º andar 804 Laboratório de Química Analítica Prof. João Pedro dos Santos de Oliveira Filho 100,32
D 7º andar 702 Laboratório de Química Geral e Inorgânica I 136,28
D 7º andar 705 Laboratório de Química Geral e Inorgânica II 130,38
D 8º andar 802E Laboratório de Instrumentação Analítica 15,01
D 6º andar 602 Laboratório de Química Orgânica 68,14
D 8º andar 802D Laboratório de Bacteriologia 15,01
D Térreo 3 Laboratório de CAD 94,60
D 4º andar 402 Laboratório de Física I e II 89,70
D 4º andar 403 Laboratório de Física I e II 74,88
D 5º andar 505 Laboratório de Ótica e Eletroeletrônica 74,88
D 5º andar 506 Laboratório de Ótica e Eletroeletrônica 74,88
D 5º andar 502 Laboratório de Eletrotécnica 89,70
D Térreo 8 Laboratório de Mecânica dos Fluidos e Hidráulica 150,98
D 5º andar 505 Laboratório de Física III e IV 74,88
D 5º andar 506 Laboratório de Física III e IV 89,70
I Térreo 13 Laboratório II – Computação e Informática 31,74
I Térreo 32 Laboratório VII – Computação e Informática 71,93

Núcleo de Pesquisas em Ciências Ambientais (NPCIAMB)

Bloco Andar Sala Descrição Área (m²)
J Térreo 3-I Laboratório de Bioprocessos I 26,00
J Térreo 3-II Laboratório de Bioprocessos II 26,00
J Térreo 7 Laboratório de Microbiologia 79,30
J Térreo 9 Laboratório Físico-Química 2 54,00
J Térreo 11 Laboratório de Absorção Atômica 28,59
J Térreo 13 Laboratório de Biologia Celular e Microscopia Eletrônica 56,62

Além desses laboratórios, o Curso tem a sua disposição os de multimeios e de informática localizados nos Centros, no Núcleo de Informática e Computação e na Biblioteca Central.

Grade e Corpo Docente
Face à implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais do Conselho Nacional da Educação – CNE, esta matriz curricular poderá sofrer alteração, desde que aprovada pelos órgãos competentes da UNICAP.

Para mais informações, escreva para dpa@unicap.br.
Engenharia Química (19/07/2017)