O curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Pernambuco realizou uma palestra de acolhida para os novo alunos, na noite desta quarta-feira, dia 05, no Auditório G1. O tema do encontro foi “O papel do engenheiro na sociedade: ética e competência”. O coordenador do curso, professor Caetano Monteiro, ressaltou a importância da temática, que é bastante atual para a Engenharia Civil.

O palestrante foi o ex-professor da Católica Mário Antonino, que é engenheiro civil, graduado em 1958 na Universidade Federal de Pernambuco, e bacharel em matemática. Ele revelou que, além de professor, foi o engenheiro responsável pela construção do bloco G e do prédio da Reitoria da Unicap.

“Eu quis ensinar e aqui tive o prazer de substituir o Padre José Machado. Ele me entregou a responsabilidade de ensinar Análise Matemática 1, Análise Matemática 2 e Análise Superior. Eu tive uma honra muito grande, porque o professor Zé Machado era uma referência no mundo científico. Um jesuíta que honrou a ciência brasileira. Fui aluno dele, fui amigo dele e na qualidade de professor e engenheiro sempre me preocupei em fazer com que a engenharia fosse uma profissão admirada por todos. Claro, acho que toda a sociedade sabe da contribuição da engenharia para o seu próprio progresso.”

“Eu tive o prazer de ter sido professor das disciplinas de Cálculo e de Construção Civil aqui na Católica e na Universidade Federal de Pernambuco e esses meus colegas, que foram meus alunos, tiveram a delicadeza de me convidar para fazer uma palestra sobre ‘O papel do engenheiro e da engenharia civil para a sociedade'”, revelou o veterano professor.

“Ressalto a grande responsabilidade que a engenharia civil tem com o progresso do mundo. A engenharia é responsável por todo um avanço tecnológico formidável. Ela não somente promove mas também usa, explora em benefício desse avanço tecnológico. Hoje em dia nós já usamos materiais, tecnologias que têm sido muito aperfeiçoadas e quero comentar alguns aspectos da engenharia dentro da nossa contribuição na sociedade, sobretudo, usando com ética, responsabilidade. Nessa hora em que o Brasil e o mundo atravessam crises morais muito grandes, quero dar ao engenheiro jovem um sentido de que ele vai produzir muito melhor para a sociedade se for um indivíduo ético, preocupado com o bem comum”, concluiu professor Mário.

 

Adminstração