NADD – Atividades de Apoio Pedagógico 2017.2

COORDENAÇÃO GERAL DE GRADUAÇÃO – CGGR
NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE – NADD
ATIVIDADES DE APOIO PEDAGÓGICO (REFORÇO) – 2017.2

Inscrições durante todo o semestre

Local de inscrição: NADD
Bloco G4, 8 andar, setor D,
das 9h às 11h30 e das 14h às 17h

Início das atividades: 21.08.17

 

Disciplinas

 

Horários/blocos/salas

 

Professores

 

Cálculo I

Horário A

Horário B

 

3LM / sala: G601

2LM / sala: G601

 

José Carlos Argemiro da Silva

José Cláudio Maciel Freire

Cálculo II

Horário único

 

4LM / sala: G603

 

José Cláudio Maciel Freire

Geometria Analítica

Horário único

 

6LM / sala: G602

 

José Cláudio Maciel Freire

Álgebra Linear

Horário único

 

5LM / sala: G601

 

José Cláudio Maciel Freire

Português – Leitura, Interpretação e Produção de Texto

Horário A

Horário B

 

 

3EF / sala: G609

3LM / sala: G603

 

Haidée Camelo Fonseca

Haidée Camelo Fonseca

Mecânica Geral I

Horário único

 

6LM / sala: G601

 

Carlos Alberto de Oliveira Campos

Física I

Horário único

 

5LM / sala: G603

 

Carlos Alberto de Oliveira Campos

Física II

Horário único

 

3LM / sala: G602

 

Carlos Alberto de Oliveira Campos

Física III

Horário único

2LM / sala: G603  

Carlos Alberto de Oliveira Campos

Desenho Arquitetônico

Horário A

Horário B

 

5HI / sala: G602

5JL / sala: G602

 

Arthur Henrique Neves Baptista

Arthur Henrique Neves Baptista

Plantão para esclarecimentos de dúvidas (não é necessário fazer inscrição). Disciplinas:

 

Cálculo I, II, III e IV.

 

 

Química Geral e Inorgânica II

Química Aplicada à Eng. Civil

Química Analítica Instrumental

Fundamentos da Química Analítica

Ciência e Engenharia dos Materiais

 

 

 

 

3NO / sala: G407

 

 

5LM / sala: G605

 

 

 

 

 

 

José Carlos Argemiro da Silva

 

 

José Edson G. de Souza

 

NADD: telefones: 21194291 e 21194374; e-mail: nad@unicap.br

Atualizado: 18.08.17

XXXI Seminário de Pesquisa e Prática Pedagógica discute o Enade

O XXXI Seminário de Pesquisa e Prática Pedagógica tem como tema A Formação Pedagógica de Professores na Ótica do Enade. A abertura do evento, que é promovido pela Coordenação de Estágio Curricular Obrigatório das Licenciaturas e pelo Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH), aconteceu na noite desta terça-feira (30) no auditório Dom Helder Camara. Estudantes de todos os cursos de Licenciatura da Católica participam do seminário.

Sob a mediação do diretor do CTCH, Prof. Dr. Degislando Nóbrega, a programação contou com explanações do Prof. Dr. Cezar Cerqueira e da Profª Drª Maria da Conceição Bizerra. Eles falaram sobre a importância do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) para as instituições de ensino superior e para os alunos.

A prova aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação, ingressantes e concluintes, em relação aos conteúdos programáticos dos cursos em que estão matriculados. O exame é obrigatório para os alunos selecionados e condição indispensável para a emissão do histórico escolar.

Antes de detalhar o Enade, Cezar fez um panorama dos índices que compõem o Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior (Sinaes), entre eles o próprio Enade, o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos (IGC). O professor, que faz parte da Comissão Própria de Avaliação da Unicap (CPA), chamou a atenção do  questionário socioeconomico que o estudante tem de preencher antes de responder as questões. “São abordadas percepções a respeito do ambiente de ensino/aprendizagem, organização do curso e atividade docente”.

Um desempenho ruim no Enade traz consequências para a instituição e para o aluno. A redução no número de vagas, restrição a programas como Prouni e Fies e a desvalorização do diploma no mercado de trabalho são alguns exemplos.

A preparação para a prova foi o mote da explanação da professora Conceição. Ela defendeu a importância do conhecimento interdisciplinar nas áreas que permeiam a Educação como uma dica valiosa para fazer o texto dissertativo pedido pelo Enade.

Evolução tecnológica, terceiro setor da economia, ecologia, redes sociais, Método Odón, mulheres no mercado de trabalho, mobilidade urbana e as transformações nos meios rurais e urbanos no Século XX são temas que podem ser abordados na redação. “O tema nunca vem de forma explícita. É preciso prestar muita atenção ao enunciado da questão”, frisou Conceição.

Ela também falou de outros pontos exigidos na prova do Enade que são trabalhados ao longo dos cursos de Licenciatura da Unicap, a exemplo dos Direitos Humanos e Cidadania a partir do Plano Nacional de Educação Especial e do Projeto Político-Pedagógico, definição de currículo do autor Miguel Arroyo entre outros assuntos. “Apesar de termos críticas ao modelo do Enade, reconhecemos que é uma avaliação necessária para estabelecer critérios de qualidade”.

Comunicações – A programação do XXXI Seminário de Pesquisa e Prática Pedagógica segue nesta quarta-feira (31), às 18h30, na sala 801 do bloco G. Haverá exposições de trabalhos desenvolvidos por alunos das Licenciaturas durante seus estágios obrigatórios. A coordenação geral do seminário é da professora Maria Helena da Costa Carvalho.

Começa a 6ª Semana de Computação da Unicap

Começou nesta terça-feira (02) a 6ª Semana da Computação, organizada pelo curso de Ciência da Computação da Unicap. No turno da tarde estão sendo realizados minicursos de Introdução a Android, Vulnerabilidade web, Project model canvas, Robocode, Business model canvas e Angular 2.

Segundo Matheus Barreto, aluno do 5º período de Ciência da Computação e ministrante do minicurso de Angular 2, Angular é uma parceria entre a Google e a Microsoft, que estão trabalhando juntas para formar o framework que vai auxiliar muito no mercado de trabalho da área.

Professoras do CCJ concluem Pós-doutorado na Colômbia

A diretora do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) da Unicap, professora Maria Luiza Ramos Vieira Santos, e a professora Vanessa Alexsandra De Melo Pedroso, também do CCJ, acabaram de concluir o Pós-doutoramento em Ciências Sociais, Infância e Juventude, na Universidade de Manizales, na Colômbia. O programa de investigação Pós-doutoral tem o aval do Conselho Latinoamericano de Ciências Sociais (Clacso) e Flacso Argentina, Faculdade Latinoamericana de Ciências Sociais. O diploma é outorgado pela Universidade de Manizales, pela Fundação Centro Internacional de Educação e desenvolvimento Humano (Cinde), pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e pelo Colégio da Fronteira Norte.

Professora Maria Luiza desenvolveu um Estudo Comparado Brasil-Colômbia da Adoção por Casais Homoafetivos, da lei que rege a adoção por casais homoafetivos, tanto no Brasil, quanto na Colômbia. Já a professora Vanessa Pedroso pesquisou sobre o Tráfico de Crianças na Tríplice Fronteira: Brasil, Colômbia e Peru.

As professoras Maria Luiza e Vanessa falaram juntas sobre a experiência. “Foi uma aventura, porque não é fácil conciliar trabalho em mais de uma instituição, com estudar e toda a responsabilidade de cumprir os requisitos exigidos pelo programa do curso, como quatro apresentações em quatro congressos internacionais, ter uma publicação em uma revista qualizada e um capítulo em um livro ou um livro publicado. Então, a gente tinha que dar conta de tudo isso em um prazo máximo de três anos. Não foi fácil, mas valeu a pena!”.

 

 

Curso de Medicina promove palestra sobre depressão

A Associação Acadêmica de Cardiologia, com o apoio do Curso de Medicina da Unicap, realizou na noite desta terça-feira (25), no auditório do bloco J, a palestra Depressão: “Vamos Conversar?” No ao mês mundial da saúde, a Organização Mundial da Saúde escolheu esse tema porque a depressão, segundo a própria OMS, será, em 2030, a doença mais diagnosticada do mundo. Ela causa graves prejuízos na vida profissional, social e na vida familiar dos pacientes. Segundo, também a OMS, se houvesse uma adequada abordagem preventiva, as complicações relacionadas à depressão poderiam ser menos relevantes. Dentre as complicações existe a relação Depressão-Suicídio, que, no Brasil, já se atingiu um percentual em torno de 8% da população. A depressão atinge, segundo dados epidemiológicos, 18% da população brasileira. Está presente nos ambulatórios, nos hospitais, nas escolas, no trabalho e precisa de uma abordagem adequada.

O psiquiatra e professor do curso de Medicina da Católica, Moab Acioli, foi um dos convidados a palestrar na noite. Com o tema Aspectos Psiquiátricos da Depressão, o professor decidiu trazer uma luz sobre as principais questões que envolvem o tema, falou sobre os tabus que ainda existem acerca da depressão e suas principais causas. “Dentre as várias causas, existe uma cultura depressogênica, segundo as ciências sociais, que é uma cultura baseada no excesso de individualismo, numa falta da expressão de sentimentos das pessoas, numa competitividade e numa falta de perspectiva, onde alguns modelos sociais e econômicos mundiais se pautam pela competição e falta de uma seguridade social”, ressaltou.

Essa perspectiva socioeconômica e sociocultural, muitas vezes reflete nas artes, como forma de se discutir ou debater um tema. Não é de hoje que alguma doença ou tabu é retratado nas telas do cinema ou nas telinhas da televisão. A série da vez é”Os 13 Porquês”, que é a adaptação televisiva de um livro, que leva o mesmo nome. A série da Netflix retrata a história de Clay (Dylan Minnette) que, de repente, se depara com uma caixa de sapatos com fitas cassete enviada por Hannah (Katheriine Langford), sua amiga e amor platônico secreto da escola. Logo em seguida ele descobre que ela havia se suicidado e no pacote a jovem lista os 13 motivos que levaram ela a interromper a sua vida – além de instruções para as fitas serem passadas entre os demais envolvidos.

Reprodução: Netflix

A série vem dividindo opiniões: ela é importante por discutir o tema da depressão e conscientizar o público ou ela é negativa pois acaba trazendo a discussão de uma forma que pode induzir as pessoas a romantizarem o problema e, assim, acabarem optando pelo caminho do suicídio? Para esclarecer essa questão, direcionamos a pergunta ao Dr. Moab.

Os 13 porquês, retrata, de uma maneira muito realista, a vida sociocultural de adolescentes norte-americanos numa escola de ensino médio. Eu acho que, mais importante, do que a questão da depressão, a série trata o papel social desqualificado que a mulher sofre na nossa sociedade. Ela aborda a descoberta sexual de uma adolescente e essa descoberta é estigmatizada pelos adolescentes do sexo masculino que rotulam a menina com expressões pejorativas o que caracteriza o bullying, o que leva a garota a cometer suicídio. Esse tipo de situação ocorre em escolas em que a menina, que tem uma prática sexual, é tratada com adjetivos pejorativos e o menino, que possui uma vida sexual, é visto como viril e como sendo alguém que esta cumprindo adequadamente seu papel.

Os adolescentes, nos EUA, saem de casa aos 18 anos de idade. Eles não têm diálogo com os pais. Então, o que se observa é que eles conversam entre eles mesmos. A série é importante pelo sentido que os jovens vão assisti-la, queiram os pais ou não, mas os pais têm que ter a sensibilidade de estabelecer esse diálogo com eles. Não é a série que vai causar suicídio, o que vai causar suicídio é a má relação dos pais com os filhos. Tanto para os adolescentes, tanto para os adultos e para os idosos, é crucial que as pessoas saibam o que é depressão, conheçam suas características, saibam encaminhar para um tratamento e fiquem atentos que o silêncio numa comunicação familiar pode ser sintoma de depressão. É uma realidade que perpassa todos esses grupos e todos têm que estar ligados, porque muitas vezes a pessoa que comete suicídio, ela não avisa e pega de surpresa todos nós.”

Na noite, ainda tiveram palestras sobre Cardiologia e Depressão, com o cardiologista Wilson Oliveira; e Aspectos Psicológicos da Depressão, com a Dra. Leila Novaes.

Ao final, foram realizados, por profissionais de fisioterapia, alguns exercícios de relaxamento e alívio do estresse, para os participantes.

Dr. Moab Acioli

 

 

 

Coordenador do Núcleo de Prática Jurídica da Católica tem encontro com presidente do TRE

O coordenador do Núcleo de Prática Jurídica (Astepi) da Universidade Católica de Pernambuco, professor Fernando Lapa, foi recebido na manhã desta quarta-feira (19) pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE), Antônio Carlos Alves da Silva. Estavam presentes também o corregedor regional eleitoral, Henrique Dias: a diretora-geral do TRE, Isabela Landim; o diretor da Escola Judiciária Eleitoral, Delmiro Campos; e o assessor de Segurança, coronel Sebastião Gondim.

Na ocasião, ficou acertado o engajamento da Católica no programa “Eleitor do Futuro”, que tem como objetivo principal promover o exercício da cidadania entre crianças e jovens a partir de seu envolvimento responsável com as questões éticas, políticas, sociais e jurídicas do exercício do voto. Serão realizadas palestras na Católica em datas a serem definidas, nas quais os alunos poderão dialogar e tirar dúvidas sobre o processo e a legislação eleitoral.

A cada eleição, está diminuindo o número de jovens entre 16 e 18 anos que optam por tirar seus títulos. Nos últimos quatro pleitos, em Pernambuco, o índice nessa faixa etária, que é contemplada com o voto facultativo, caiu 42%. O problema é ainda maior se considerarmos apenas os jovens de 16 anos, dos quais quase 56% decidiram adiar sua entrada no sistema eleitoral. A tendência se intensificou após os escândalos divulgados em 2012 e a onda de protestos ocorrida em 2013.

Para o presidente do TRE-PE, Antônio Carlos, fazer um trabalho de conscientização para estimular o jovem eleitor é semear a esperança. “Eu me sinto muito realizado como ser humano por compartilhar minha história de vida com todos esses jovens, pois mesmo com dificuldades nunca abandonei a luta e mantive a vontade de vencer e melhorar o meu país”, declarou o presidente.

Na opinião do professor Fernando Lapa, um dos objetivos do engajamento da Católica no programa é despertar o interesse dos alunos do curso de Direito pelo campo profissional do direito eleitoral, ainda pouco explorado. “Queremos mostrar mais essa opção de atividade profissional para os bacharéis em Direito”, ressaltou.

Cursos da área de Saúde debatem a Doença de Parkinson

A Campanha Nacional de Conscientização sobre a Doença de Parkinson promoveu, com apoio dos cursos da área de Saúda da Unicap, uma palestra a respeito do assunto. O evento aconteceu na noite desta terça-feira (18), no auditório G1. A palestra intitulada Doença de Parkinson: quadro clínico, diagnóstico e tratamento medicamentoso foi proferida pela representante da Sociedade de Neurologia de Pernambuco, Drª Rita de Cássia.

As coordenações dos cursos de Medicina, Fisioterapia e Fonoaudiologia da Católica estiveram presentes. “A principal pauta é falar sobre a doença e o aporte multidisciplinar dessa doença”, disse Drª. Erideise Gurgel, médica otorrinolaringologista e coordenadora do curso de Medicina da Católica.

A coordenadora de Fisioterapia, Profª Cristiana Machado, também falou sobre a importância da discussão para os alunos. “A gente quer mostrar como a fisioterapia pode ajudar os pacientes na reabilitação, na recuperação e na manutenção dessas funções. Passar essas informações para os alunos conhecerem qual o papel da fisioterapia no contexto da reabilitação do paciente com doença de Parkinson é muito importante.” Representantes da Associação Brasileira de Parkinson também estiveram presentes.

Curso de Fonoaudiologia da Católica obtem conceito 4 no MEC

O curso de Fonoaudiologia da Universidade Católica de Pernambuco conquistou o conceito quatro, numa escala que vai de 1 a 5. Os avaliadores do Ministério da Educação estiveram na Unicap no final do mês de março e o resultado foi divulgado somente agora. Eles analisaram a estrutura do campus, a Biblioteca, os laboratórios, o corpo docente e a Clínica de Fonoaudiologia.

O ótimo resultado está sendo bastante comemorado pelos professores. “Nosso corpo docente é quase todo composto por mestres e doutores e o curso é bastante integrado ao Programa de Pós-graduação em Ciências da Linguagem (mestrado e doutorado). Nossos laboratórios de Anatomia e Biofísica também foram muito elogiados”, disse a coordenadora do curso, Prof.ª Conceição Silveira ao ressaltar que há entre os professores médicos otorrinolaringologistas e neurologistas.

Ela destacou ainda que um outro ponto chamou a atenção dos avaliadores do MEC. Algumas disciplinas são oferecidas na modalidade de Educação à Distância (EaD). Ainda de acordo com Conceição, a Extensão teve um papel importante na conquista. São sete projetos em andamento, entre eles o de Reabilitação Labiríntica, coordenado pelo Professor Paulo Freitas. Por semana, são atendidas em média dez pessoas.

Entre os alunos o clima também é de celebração. “Quando conheci o curso, me apaixonei logo no primeiro período. O relacionamento com os professores é ótimo e há muitas chances em projetos de pesquisa e na Clínica”, disse Lucas José Araújo, aluno do 7º período. A colega dele, Jéssica Raíssa, também se orgulha do curso. Ela estudava numa outra instituição e se transferiu para a Unicap. “Fiz uma ótima troca. A Católica oferece muitas possibilidades”.

Flávia Lira Santos é outra que faz parte da turma que está prestes a se formar. Ela destaca o compromisso humanista da Unicap. “A estrutura é ótima, o corpo docente muito bom, a dinâmica de trabalho e o atendimento às pessoas são um diferencial. Sinto que me formarei bastante preparada para atuar na profissão”.

Engenharia Civil promove palestra sobre o papel do engenheiro para os novos alunos

O curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Pernambuco realizou uma palestra de acolhida para os novo alunos, na noite desta quarta-feira, dia 05, no Auditório G1. O tema do encontro foi “O papel do engenheiro na sociedade: ética e competência”. O coordenador do curso, professor Caetano Monteiro, ressaltou a importância da temática, que é bastante atual para a Engenharia Civil.

O palestrante foi o ex-professor da Católica Mário Antonino, que é engenheiro civil, graduado em 1958 na Universidade Federal de Pernambuco, e bacharel em matemática. Ele revelou que, além de professor, foi o engenheiro responsável pela construção do bloco G e do prédio da Reitoria da Unicap.

“Eu quis ensinar e aqui tive o prazer de substituir o Padre José Machado. Ele me entregou a responsabilidade de ensinar Análise Matemática 1, Análise Matemática 2 e Análise Superior. Eu tive uma honra muito grande, porque o professor Zé Machado era uma referência no mundo científico. Um jesuíta que honrou a ciência brasileira. Fui aluno dele, fui amigo dele e na qualidade de professor e engenheiro sempre me preocupei em fazer com que a engenharia fosse uma profissão admirada por todos. Claro, acho que toda a sociedade sabe da contribuição da engenharia para o seu próprio progresso.”

“Eu tive o prazer de ter sido professor das disciplinas de Cálculo e de Construção Civil aqui na Católica e na Universidade Federal de Pernambuco e esses meus colegas, que foram meus alunos, tiveram a delicadeza de me convidar para fazer uma palestra sobre ‘O papel do engenheiro e da engenharia civil para a sociedade'”, revelou o veterano professor.

“Ressalto a grande responsabilidade que a engenharia civil tem com o progresso do mundo. A engenharia é responsável por todo um avanço tecnológico formidável. Ela não somente promove mas também usa, explora em benefício desse avanço tecnológico. Hoje em dia nós já usamos materiais, tecnologias que têm sido muito aperfeiçoadas e quero comentar alguns aspectos da engenharia dentro da nossa contribuição na sociedade, sobretudo, usando com ética, responsabilidade. Nessa hora em que o Brasil e o mundo atravessam crises morais muito grandes, quero dar ao engenheiro jovem um sentido de que ele vai produzir muito melhor para a sociedade se for um indivíduo ético, preocupado com o bem comum”, concluiu professor Mário.

 

Unicap, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e Procon realizarão mutirão de atendimento para endividados

Pedro Henrique – especial para o Boletim Unicap

O Núcleo de Práticas Jurídicas da Unicap (Astepi) vai promover uma edição do Mutirão dos Endividados. A iniciativa é fruto de uma parceria com a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos e o Procon Pernambuco e vai acontecer neste mês de abril em datas a serem definidas.

A ideia é intermediar a negociação de dívidas de consumidores com bancos, empresas de telefonia, Celpe e Compesa. O acerto foi firmado ontem (30), durante visita do secretário Pedro Eurico e da gerente jurídica do Procon Daniele Sena à Astepi, data em que o Núcleo comemorou 43 anos.

“A visita do secretário Pedro Eurico demonstra o apreço pela Universidade Católica de Pernambuco e é um reconhecimento ao nosso trabalho desenvolvido há mais de 40 anos, em prol da sociedade”, disse o coordenador da Astepi, professor Fernando Lapa.

Pedro Eurico estava acompanhado de sua assessora, Mariana Pontual, advogada e ex-aluna da Unicap. Durante a visita, o professor Fernando Lapa apresentou a estrutura e os detalhes de funcionamento do Núcleo, a exemplo da sala do Júri Simulado.

“Estou impressionado com toda a estrutura da Astepi”, destacou o secretário. Mariana ressaltou o papel de integração da Astepi. “Quando era aluna, a antiga Astepi já se destacava como centro de referência em Pernambuco. Agora, com essa nova estrutura, não tenho dúvidas de que os alunos da Unicap têm a sua disposição, um dos melhores núcleos de aprendizado para as práticas jurídicas”, afirmou.