Hoje, 20 de setembro, o fotógrafo pernambucano, Alcir Lacerda, faria 90 anos.

Viva Seu Alcir!

Desde adolescente Alcir Lacerda fotografava os amigos nas festas e nas peladas das várzeas com uma Rolleiflex emprestada. A venda das fotos garantia a compra de mais filmes permitindo que novas fotos fossem feitas, renovando a brincadeira. Alcir não demorou a perceber que aquela brincadeira era o que ele queria fazer pelo resto de sua vida. Assim tem início a trajetória profissional desse autodidata que dominou como poucos o ofício de fotografar em suas múltiplas vertentes, aliando, através da persistência, da seriedade e do talento, a qualidade técnica à sensibilidade.

No final da década de 1950, já um profissional conhecido por suas atividades no fotojornalismo e nos laboratórios da Faculdade de Medicina, Alcir criou, associado ao colega Clodomir Bezerra, a Acê Filmes, empresa que rapidamente se destacou pelos serviços prestados a clientes como Italo Bianchi Publicidade, Alcântara Publicidade, Abaeté Propaganda, MPM, Denison, Star Publicidade, Aliança Publicitária e a jornais e revistas como Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio, O Estado de São Paulo, Manchete, Fatos e Fotos, O Cruzeiro, Veja e Placar.

Todos mereceram da ACÊ Filmes o mesmo atendimento que os monoqueiros, doutores e políticos que procuravam a empresa em busca de serviços fotográficos ou os estudantes de fotografia que procuravam Alcir para trocar opiniões em torno do ofício. Um atendimento sempre pautado pelo profissionalismo, a franqueza e a cordialidade.

Além da vertente publicitária e jornalística, nos seus mais de 50 anos de existência, a ACÊ Filmes, através das lentes de Alcir Lacerda e de outros 25 fotógrafos sob seu comando, realizou o registro fotográfico de eventos sociais, particularmente de cerimônias de casamento que, em muitos casos, se desdobraram em novas uniões nas gerações seguintes. A empresa mantém em arquivo grande parte dessas imagens, um acervo que guarda bastante da história recente da sociedade pernambucana.

O talento de Alcir Lacerda foi reconhecido por seus pares e pela sociedade. Em 1973, recebeu o Prêmio Revista Realidade da Editora Abril. Em 1976, o do 1º Salão de Fotografias de Pernambuco. Em 2004, por iniciativa do Governo do Estado, a exposição retrospectiva Alcir Lacerda – fotografias inaugurou, na Torre Malakoff, sala destinada a exposições fotográficas com seu nome. Ainda naquele ano, a Prefeitura da Cidade do Recife outorgou-lhe o Troféu Cultural da Cidade do Recife. No ano seguinte, novamente o meio artístico tornou público esse reconhecimento através da inclusão de suas fotos na prestigiosa Coleção Pirelli do Museu de Arte de São Paulo.

Entretanto, é o reconhecimento pelas novas gerações de fotógrafos que ajudou a formar nos jornais, nos cursos e atividades da ACÊ Filmes ou nos longos e pacientes momentos de conversas, de troca de experiências com novos e velhos parceiros de ofício, na rua, nos campos, nos palcos ou nos recintos fechados dos laboratórios fotográficos, que fazem de Alcir personagem singular e que lhe faz ter a certeza de que cumpriu a missão que o destino começou a traçar, 60 anos atrás, nos campinhos de várzea do Capibaribe.

Betty Lacerda

Alcir BannerAL 1385 AL_NEG_1251 AL_NEG_1413 AL_NEG_1674 AL_NEG_2131 AL_NEG_2270

Esta entrada foi publicada em Aniversariantes, Homenagens. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Hoje, 20 de setembro, o fotógrafo pernambucano, Alcir Lacerda, faria 90 anos.

  1. CARLOS BLAYA PEREZ disse:

    A qualidade técnica das fotografias do Sr. Alcir é um destaque em sua obra. Nosso país tem a honra de ter entre os seus fotógrafos nomes como o dele. Um verdadeiro artista comprometido com a imagem. Parabéns!

    Prof. Dr. Carlos Blaya Perez
    Universidade Federal de Santa Maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *