CONVERSA COM MARCELO BARROS

MARCELO BARROS

Quer saber o que as primaveras sociais têm a ver com as passagens espirituais? E como os fundamentalismos ameaçam os desenvolvimentos culturais e religiosos? E de que maneira essas transformações sócio-espirituais se refletem na Igreja Católica? Marcelo Barros está lançando um novo livro sobre o assunto (Igreja e instituição: um diálogo com o pensamento de José Comblin) e acabou de chegar do Fórum Social Mundial na Tunísia e vai conversar com a gente sobre essas questões e relações. Ele é monge beneditino, foi colaborador de Dom Helder e assessora as comunidades de base e os movimentos populares. É membro do Grupo de Estudo sobre Transdisciplinaridade e Diálogo do nosso Observatório das Religiões.

..

Veja aqui um trecho do livro de Marcelo

Saiba mais aqui do Fórum Social Mundial

Descubra aqui os desafios dos fundamentalismos

LIVROS E DEBATE NA SEMANA COMBLIN

Dando continuidade à Semana de Estudos José Comblin, foi realizado na noite desta quinta-feira(4), no auditório CTCH (bloco B), o lançamento dos livros: Lideranças Católicas no Brasil, organizado pelos professores Newton Darwin de Andrade Cabral (membro do corpo docente da Universidade Católica) e Sylvana Maria Brandão de Aguiar (professora da Universidade Federal de Pernambuco); Padre José Comblin, de Monica Maria Muggler (missionária leiga na Diocese de Barra na Paraíba); e Espiritualidade e Sagrado no Mundo Cibernético, organizado por Emerson José Sena e Valter Avellar. Em seguida aconteceu o segundo debate da Semana de Estudos. Dessa vez, entre a missionária Monica Maria Muggler e a irmã Celina de Paudalho (ambas trabalharam e seguiram Comblin ao longo de sua trajetória no Brasil), que dividiram relatos e lembranças do padre e de sua forma de trabalhar e lidar com as pessoas.

O lançamento teve início às 18h30 abrindo a palavra para os autores e organizadores, que apresentaram suas respectivas obras para o público. O primeiro a falar foi o mestre em Ciências da Religião e coordenador do EAD da Unicap, Valter Avellar. Seu livro: Espiritualidade e Sagrado no Mundo Cibernético – questões de método e vivência em Ciências da Religião; procura estudar e compreender o fenômeno religioso (de cristãos e de outros grupos religiosos) na internet, reunindo artigos e textos de diversos colaboradores. Em seguida foi a vez do professor Newton Cabral apresentando o livro Lideranças Católicas no Brasil – trajetórias, narrativas e memórias. O livro reúne artigos de alunos de mestrado, orientados e co-orientados pelo professor, que remetem às grandes figuras religiosas da Igreja Católica que exerceram papéis de liderança popular na história brasileira, dentre eles Dom Helder Camara e Padre Cícero. Por último, a missionária leiga Monica Maria Muggler lançando o livro Padre José Comblin – uma vida guiada pelo espírito. O livro conta a trajetória de vida e espiritual do padre José Comblin segundo as pessoas que o acompanharam durante seus anos de trabalho no Brasil.

Em seguida, teve início o segundo de três debates programados, reunindo a irmã Celina de Paudalho e a missionária Monica Maria Muggler. Ambas trabalharam e acompanharam de perto os trabalhos ligados à espiritualidade e de cunho social realizados por Comblin. Ao longo do debate, lembraram momentos e histórias que vivenciaram ao lado do padre.

A Semana de Estudos José Comblin é uma realização do Núcleo de Estudos José Comblin, em parceria com o Instituo Humanitas Unicap, Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH) e o Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião e em Teologia da Universidade Católica de Pernambuco. O evento contou com o apoio do Grupo Igreja dos Pobres – UFPB e do Museu-Parque das Religiões de Pernambuco.

Publicado originalmente em Boletim UNICAP.

ESPÍRITO SANTO EM COMBLIN

Boletim Unicap

O professor da Universidade Federal da Paraíba Alder Júlio ministrou nesta terça-feira (03) a primeira oficina da Semana de Estudos José Comblin, que acontece na Unicap até o dia 05, com atividades durante todo o dia. O professor abordou na apresentação as ideias do teólogo belga a respeito do Espírito Santo. Segundo Alder Júlio, a proposta “é pensar o legado de José Comblin, em particular a presença do Espírito Santo na Igreja e no mundo; explicar como essa figura profética conseguiu, ao longo da sua trajetória, entender e ajudar a entender a ação do Espírito Santo no mundo”, explicou.

Na metodologia da oficina, o professor organizou a apresentação de acordo com os seguintes pontos: um apanhado biográfico do teólogo, uma abordagem sobre a ação do Espírito Santo no mundo, a inventividade de Comblin e os desafios que as ideias do pensador impõem aos dias atuais. Outras oficinas estão sendo realizadas durante a Semana de estudos, discutindo temas como Metodologia Teológica e Pastoral Urbana em José Comblin.

COMEÇAM DEBATES NA SEMANA COMBLIN

Teve início na noite desta quarta-feira(3) o primeiro de uma série de debates da Semana de Estudos José Comblin, no auditório do Centro de Teologia e Ciências Humanas da Universidade Católica de Pernambuco, que reuniu os historiadores e teólogos Eduardo Hoornaert e Marcelo Barros. O debate dá continuidade às atividades da semana de estudos, que seguirá até a sexta-feira (5).

O primeiro debate tratou do caráter religioso e político da obra do padre e teólogo José Comblin. Ao longo do debate os convidados Eduardo Hoornaert e Marcelo Barros fizeram considerações a respeito de suas ideias inovadoras e revolucionárias.

Jose Comblin Nascido na Bélgica em 1923, foi um dos principais teóricos da Teologia da Libertação em atuação na América Latina. Sua obra progressista e bastante polêmica defendia, sob um olhar humanitário, que a fé deveria ser refletida criticamente a partir da realidade dos pobres. Faleceu em 2011 aos 88 anos.

Publicado originalmente em Boletim UNICAP.

SEMANA DE ESTUDOS JOSÉ COMBLIN

SEMANA DE ESTUDOS JOSÉ COMBLIN
“Religiões, identidades e diálogos: perspectivas a partir do teólogo José Comblin”
RECIFE, UNICAP, 3 A 5 DE SETEMBRO DE 2014

 

jose_comblinHá grupos de estudo sobre o pensamento do padre José Comblin em várias Universidades e Comunidades. No Nordeste brasileiro, esses grupos já se reuniram por três vezes na Universidade Federal da Paraíba e aí, em João Pessoa, na III Semana de Teologia José Comblin, em 2013, discutiu-se a possibilidade desse evento se multiplicar por outros centros acadêmicos nordestinos, sobretudo em Recife e Fortaleza. A UNICAP assumiu o desafio e convida os estudiosos da religião para uma Semana de Estudos sobre a teologia socialmente engajada de Comblin, em setembro de 2014.

Com efeito, desde 2013, o Núcleo de Estudos José Comblin reúne na Universidade Católica de Pernambuco as pessoas interessadas na reflexão crítica sobre o pensamento desse grande teólogo e na reflexão sobre a missão cristã no mundo, tomando por base as ideias e o testemunho do Padre Comblin. Ele deixou na UNICAP não apenas a sua grande biblioteca, mas também muitos amigos, com a tarefa de continuar semeando uma espiritualidade libertária e compromissada.

Por isso, o Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Católica de Pernambuco abriu no “Grupo de Pesquisa Religiões, Identidades e Diálogos”, registrado no CNPQ, uma linha de pesquisa sobre o Pensamento de José Comblin. Esse Grupo, partindo da constatação da complexidade de performances do cenário religioso atual, propõe-se a analisar os deslocamentos religiosos, dando ênfase às várias tentativas de configuração de diálogo inter-religioso, bem como às novas gramáticas constitutivas das identidades religiosas.

Com essa linha de pesquisa sobre o Pensamento do Padre Comblin, que estrutura o Núcleo de Estudos que leva o seu nome, especial destaque tem se dado à colaboração da sua teologia e da sua história para a reflexão sobre as identidades e alteridades que as religiões promovem. A Semana de Estudos na UNICAP, então, servirá para o compartilhamento desses estudos e pesquisas com pensadores de outras regiões e especialidades.

 

Veja a programação e faça a sua inscrição por aqui.

Veja aqui a preparação para o evento no Face.

 

REVISTA DE BÍBLIA EM HOMENAGEM A COMBLIN

Número: 119. • Data: Jul/Set 2013

Editora Vozes

A esperança de um mundo novo:

Estudos Bíblicos em memória do profeta José Comblin

 

SUMÁRIO

EDITORIAL, 239

ARTIGOS

Adenilton Tavares de Aguiar. Engajamento social e compaixão solidária: Carta de apelo a um rico dono de escravos, 241.

Aíla Luiza Pinheiro de Andrade. O sacdrdócio de Cristo e a laicidade do sacerdócio conforme a Carta aos Hebreus, 248.

Jair Rodrigues Melo. A simbologia da resistência política em textos sagrados: Hermenêutica a partir de Ap 17, 1-18, 257.

João Luiz Correia Júnior. Os fundamentos do amor solidário para com os pobres. Estudo da bem-aventurança de Mt 5, 3 em homenagem ao teólogo José Comblin, 266.

José Artur Tavares de Brito (Artur Peregrino). O Evangelho do Padre Comblin, 280.

José Comblin (in momeriam). Cidadania, lei e liberdade, 293.

José Raimundo Oliva. A boa-nova que tudo renova. Um olhar a partir de Jesus. “Quem é que dizem que eu sou?” (Mc 8, 27-30), 305.

Sebastião Armando Gameleira Soares. Três palavras que fazem lembrar o Pe. José Comblin, 317.

 Lançamento:

Data: Quinta-feira, 22 de maio
Horário: Das 17h30 às 18h30
Local: Espaço Loyola, térreo do bloco B da UNICAP.

 

COMEÇAM OS ESTUDOS DO NÚCLEO COMBLIN

O Núcleo de Estudos José Comblin reúne na Universidade Católica de Pernambuco as pessoas interessadas na reflexão crítica sobre o pensamento desse grande teólogo e na reflexão sobre a missão cristã no mundo, tomando por base as ideias e o testemunho do Padre Comblin (saiba mais por aqui).
Nesta quarta (25/09) ocorreu o primeiro encontro do Núcleo, com apresentações dos participantes e das suas expectativas, visualização das obras de Comblin e discussão dos objetivos do projeto. Foram recolhidas três propostas de encaminhamentos dos estudos:
  • organização de glossário temático sobre o pensamento de Comblin, a começar pelo verbete Religião
  • redação de uma síntese do seu livro póstumo, costurando as suas diversas versões por unidades temáticas
  • levantamento da evolução do pensamento do Padre José a partir dos seus artigos na REB
Foi distribuído um texto com citações do livro O Espírito Santo e a tradição de Jesus, que servirá de mote para o começo da próxima reunião, dia 30 de outubro às 17h no laboratório do Mestrado em Ciências da Religião. Nessa reunião se decidirá a melhor proposta de encaminhamento e serão distribuídas as tarefas de estudo.
O grupo presente está na expectativa de que o Simpósio do Grupo de Pesquisa Religiões, Identidades e Diálogos, no dia 1º de novembro, na UNICAP, discuta o pensamento de Comblin e resulte em uma publicação. Foi anunciado também que está sendo montado o laboratório de história para prosseguimento da digitalização/disponibilização dos arquivos pessoais de Comblin.
O grupo também se articulou para participar da III Semana Teológica Pe. José Comblin, que terá lugar no auditório do Centro de Educação da UFPB, em João Pessoa, de 22 a 24 de outubro (veja a programação por aqui). O tema geral será “O Espírito Santo e a Missão: o Profetismo das Juventudes”, e o evento é promovido pelo movimento Kairós-Nós também somos Igreja, Livraria Paulinas, Núcleo de Cidadania e DH e Setor de Comunicação da UFPB e Grupo Igreja dos Pobres. Uma das propostas que levamos é que essa Semana circule também pelo Recife e por Fortaleza.

RAPADURA, BUCHADA E FÉ NO SERTÃO

Dia desses uma comitiva do nosso Mestrado fez uma excursão de estudos ao Memorial José Comblin. E aqui no campus da UNICAP, nossos Mestres em Ciências da Religião estão engajados na construção de um futuro Núcleo de Pesquisas sobre o seu pensamento: Karina Bezerra está escaneando textos inéditos do grande teólogo, Carlos Vieira organiza uma página na internet para divulgar trabalhos sobre a obra de Comblin e principalmente facilitar o acesso aos seus livros em nossa biblioteca, e Mariano Vicente está recolhendo artigos para um número monográfico sobre o Padre José na Revista Paralellus.

O pastor Paulo Cesar Pereira, também nosso Mestre em Ciências da Religião, que se tornou pesquisador e discípulo do velho Comblin, esteve novamente agora no Memorial, em Santa Fé, Solânea, na Paraíba, para participar da Romaria Missionária Comblin-Ibiapina. Padre José contribuiu para recuperar o modelo cristão desse grande missionário e foi sepultado ao lado do Padre-mestre Ibiapina. Muita gente acorreu esta semana aos seus túmulos para renovar a fé e o compromisso com o Governo de Deus, que eles testemunharam, e para celebrar, entre buchadas e rapaduras compartilhadas, que “a esperança dos pobres vive”. Paulo Cesar trouxe um alforge cheio de entrevistas e belos depoimentos.

De 15 a 18 deste mês de março, aconteceu no Santuário de Santa Fé, em Solânea-PB, a Primeira Romaria em Memória do Pe. José Comblin. A festa aconteceu por ocasião da comemoração dos 90 anos de seu nascimento. Muita gente apareceu por lá, foram aproximadamente 450 inscritos. Seis bispos deram o ar da graça, dentre eles, os sempre prestigiados Dom José Maria Pires, arcebispo emérito de João Pessoa e Dom Luiz Cáppio, de Barra na Bahia. Mas, a festa foi mesmo marcada pela presença maciça daqueles que conheceram e beberam na fonte do Padre Comblin. Esse é exatamente o sentido de uma romaria, voltar e beber na fonte.

Tinha padres, lavrador@s, lavadeiras, religios@s, professores, estudantes, meninos, meninas e gente já bem vivida. Tinha ativistas, militantes, comunistas e socialistas. Apareceram os amigos de primeira hora e também os dos últimos anos. Era gente do Mato Grosso, do Rio de Janeiro, da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Ceará, Piaui, Maranhão e uma ruma de gente boa da Paraíba. Por lá estiveram a Associação Missionária Jesus no Meio dos Pobres, a AMINE, os Missionários do Meio Popular, os Missionários do Meio Rural, a Irmandade do Servo Sofredor, a Comunidade do Discípulo Amado, a Congregação Missionários do Campo e muitos outros.

Nos dois primeiros dias aconteceu a romaria propriamente dita, nos dois últimos foram as reuniões de avaliação e planejamento das Escolas de Formação Missionária. Todas elas estavam presentes, Juazeiro(BA), Brotas(BA), Floresta(PE), Esperantina(PI), Mogeiro(PB) e São Lourenço(PE). As celebrações foram marcadas por momentos de grande emoção. Além da memória do Padre Comblin, ainda foram lembrados e reverenciados os Padres Ibiapina, Cícero do Juazeiro, Lamberto e Dom Hélder Câmara, bem como Margarida Maria Alves e o Beato José Lourenço.

Os testemunhos foram muitos, histórias que não estão contados nos livros. Foi gente dizendo que aprendeu a resolver muita coisa com o silêncio, outros dizendo que aprenderam a escutar, pois “o evangelho é a vida, é dar oportunidade para os mais simples falarem”. Tinha aqueles que lembravam das recomendações do Padre Comblin: “Não é para dar conselho, manda a pessoa pensar.” Ou ainda: “Vocês não vão fazer o discurso de opção preferencial pelos pobres, vocês são pobres, vão se assumir como pobres.” Amanda, de Paulo Afonso, BA, quando decidiu se matricular na Escola Missionária de Juazeiro, relata que muitos religiosos da paróquia se dirigiam a ela e perguntavam: “-Vai virar mais uma cobra de Comblin?” E ela de pronto respondia: “-Eu não tenho medo de cobra não senhor”.

De tudo teve um pouco, e de cada pouco muita coisa boa para se pensar e viver. Lembrar, ainda com água na boca, do gostinho deixado pela buchada no almoço, da rapadura na sobremesa e dos testemunhos de fé contados nas rodas de conversa. Quem estava presente, recebeu o encontro como um verdadeiro tempo de pentecostes, para os que não puderam ir, vão ter que aguardar um pouco, mas daqui a cinco anos nos reuniremos novamente em Santa Fé. Até lá vamos amadurecendo e administrando todo esse “ribuliço” que ficou dentro de nossa mente e coração.

Paulo Cesar Pereira,
pastor batista em Olinda, Mestre em Ciências da Religião pela UNICAP.

Mais no blog:
Biografia de Comblin
Comblin e o Espírito Santo
Religiosidade popular
Religião e bode