Educação em tempos de COVID-19, quem tem acesso?

No Brasil a desigualdade social sempre foi perceptível, mas durante a pandemia do coronavírus esse contraste vem se escancarando. Na educação, ao mesmo tempo que alunos de classe média contam com o conforto de suas casas para continuar os estudos de forma remota, alunos mais carentes lutam pela sua sobrevivência e a de seus familiares.

Embora estudantes de instituições particulares tenham dificuldades com a adaptação do ensino a distância, eles possuem ferramentas necessárias para dar continuidade a seus estudos acadêmicos. Enquanto alunos de redes públicas em diversos casos não têm acesso a condições básicas de higiene, como água e sabão, quem dirá de dispositivos tecnológicos como celular.

Para a professora de Rede Pública, Simone Moreira:
“Na escola pública existem crianças que não têm acesso nem a telefone, então nós temos uma grande dificuldade para atingir essa quantidade de alunos que não têm acesso. Hoje, o professor está passando por um grande desafio, ele precisa repassar para o aluno de uma forma simples, onde o aluno consiga entender, não precisando que os pais intermediem.”

Apesar disso, a Secretaria Estadual disponibilizou materiais de apoio para discentes realizarem atividades e desenvolver seus aprendizados. Além de instruções sobre o projeto Educa-PE, que disponibiliza aulas ao vivo transmitidas pelos canais da TVPE, de segunda a sexta, das 13h às 17h, e também pelo Youtube da TVPE e do EDUCA-PE.

O mundo vem se reinventando, assim como a educação, dessa forma afirma a professora Simone: “A sociedade está reformulando a forma de aprendizagem, a forma de acesso à informação, principalmente do lado cognitivo.”

 

Deixe um Comentário