CIDH condena ações violentas da polícia no Brasil e insta a adoção de medidas orientadas para combater a discriminação social e racial

Washington, DC – A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) manifesta profunda preocupação com o número histórico de ações policiais violentas registradas durante a primeira metade do ano no Brasil e seu vínculo com a discriminação racial, agravada no contexto de Covid-19 . Nesse sentido, a CIDH insta o Estado a adotar uma política de segurança com foco no cidadão, bem como a combater e erradicar a discriminação estrutural histórica que resulta em padrões desproporcionais de violência institucional contra pessoas de ascendência africana e pessoas expostas a pobreza e extrema pobreza. Continue lendo →

☑ COMUNICARDH 👀 Clipping da Cátedra Unesco/Unicap de Direitos Humanos Dom Helder Camara

➡️ Como você definiria protestos pacíficos? Comitê de Direitos Humanos da ONU responde ONU: https://bit.ly/312FioR ➡️ UNESCO: pandemia expõe importância de universalizar acesso à Internet no mundo ONU: https://bit.ly/33e3Ldm ➡️ Idosos a partir de 60 anos terão direito a meia-entrada em eventos em Pernambuco Folha PE: https://bit.ly/3k0UY4o ➡️ A violência estatal dos EUA é um problema para além da polícia The Intercept: https://bit.ly/2XdSAh7 ➡️ Garimpo gera problemas sanitários, ambientais e culturais em terras indígenas Brasil de Fato: https://bit.ly/3hR6NbC ➡️ O descaso do judiciário brasileiro na pandemia: o drama dos despejos Continue lendo →

Pandemia: os péssimos resultados do Brasil e a resistência do SUS à tempestade

Debate em parceria da Marco Zero Conteúdo com a Rede Solidária em Defesa da vida. Mediação: Laércio Portela, editor da MZ Conteúdo Convidado: Ricardo Teixeira, professor de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP Debatedoras: Ana Brito, professora da Faculdade de Ciências Médicas, médica epidemiologista e pesquisadora do Instituto Ageu Magalhães, Fiocruz-PE; e Anna Karla, especialista em gestão pública, mestranda em História e co-fundadora da Frente Favela Brasil

JORNALISTAS MULHERES E O LINCHAMENTO VIRTUAL . O jornalismo é uma profissão cada vez mais necessária. No entanto, desde as últimas eleições, os profissionais da área tem lidado diariamente com comentários que não apenas desaprovam seu trabalho, mas também que os reduzem como pessoas nas redes sociais. As ondas de linchamentos virtuais que ocorrem com mais frequencia no twitter, são voltadas especialmente para as jornalistas mulheres que já fizeram ou fazem críticas de oposição ao governo atual. Desigualdade salarial, vítimas de feminicídio, vítimas de relacionamento abusivo, alvo de piadas e Continue lendo →

☑ COMUNICARDH 👀 Clipping da Cátedra Unesco/Unicap de Direitos Humanos Dom Helder Camara

➡️ CEPAL e OPAS apresentam relatório conjunto sobre saúde e economia no contexto da COVID-19 ONU: https://bit.ly/3hRqgJn ➡️ Fundo de População da ONU entrega 100 kits para mulheres em maternidade pública de Manaus ONU: https://bit.ly/310u7Ng ➡️ Autocuidado de meninas e mulheres deve ser acompanhado de políticas de saúde ONU: https://bit.ly/2DinFZK ➡️ Conheça professor que não deixou aulas pararem em comunidade no Agreste de Pernambuco Jornal do commercio: https://bit.ly/2P7Bjli ➡️ Sem o FIG e temendo pelo Carnaval, setor cultural cobra ações do Governo do Estado Marco Zero Conteúdo: https://bit.ly/2CYDk0F ➡️ Políticas Continue lendo →

Governo Bolsonaro: entrevero na batina

A carta que provocou grande confusão interna na CNBB pode ter suscitado preocupação entre a ala mais conservadora e até mais moderada, mas sua repercussão, ao longo do dia de ontem, levou a mais adesões ao seu conteúdo. No final da tarde, o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, e o seu bispo auxiliar, Dom Limacêdo Antônio da Silva, divulgaram que pediram para serem também signatários do documento. Na nota, eles explicam que não fizeram parte da equipe que elaborou a carta, mas que depois de terem lido, Continue lendo →

UNESCO faz pesquisa para apoiar a cultura durante a pandemia

Devido a pandemia e as medidas de isolamento social, as atividades e produções culturais sofreram restrições que afetaram radicalmente a cadeia criativa cultural. Esse setor, composto majoritariamente por pequenas empresas e uma proporção alta de trabalhadores independentes e informais, hoje busca se adaptar a uma nova economia criativa como forma de sobreviver e dar continuidade a seus trabalhos. O músico Matheus de Bezerra teve que adiar vários processos de gravação e filmagem. “Além disso, não pude fazer os shows que estavam programados e isso me prejudicou financeiramente também.” Ele ressalta Continue lendo →