Vestibulares da Unicap: mais que provas, uma experiência em comunidade

Mais que uma mera aplicação de provas, o Vestibular da Universidade Católica de Pernambuco vem se consolidando como um evento que reúne famílias inteiras. Desde a chegada, passando pela espera de quem está respondendo as questões, quem dedica horas de um domingo no campus vive uma experiência de acolhimento e até mesmo de confraternização com alunos, professores e funcionários. Gente engajada que faz questão de dar as boas-vindas a quem está chegando para fazer parte da comunidade acadêmica da Unicap.

Francisca, Brenda e Fábio

O repórter Júlio César acompanhou essa receptividade conversando com feras e seus acompanhantes e constatou que em vez de uma espera monótona e longa, quem participa de alguma forma do Vestibular na Unicap tem uma amostra do que é a vivência na única universidade jesuíta do Norte e Nordeste do Brasil.

Brenda Siqueira,18 anos, veio com os pais, o radialista Fábio Santos e a dona de casa Francisca Siqueira, da cidade de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. Ela disse que se prepara há dois anos para o Vestibular de Medicina “porque gosta da metodologia de ensino”. Ela enxerga nos pais os “seus grandes incentivadores” e busca neles “a força para seguir em frente”.

A tradição de qualidade da Unicap atravessa gerações. Romério Rodrigues, 53 anos, ex-aluno de Direito, trouxe a filha Romaiana Maximo, 19 anos, para tentar uma vaga em Medicina “porque é um curso conceituado e de excelente qualidade”, disse a candidata. “Apoio com satisfação o ingresso da minha filha na Unicap”, afirmou Romério.

Romério e Romaiana

A experiência comunitária da Unicap se fez presente também nos vários serviços oferecidos aos pais e acompanhantes na Biblioteca por meio da Jornada Portas Abertas. Funcionários, professores e alunos voluntários dedicaram a manhã de domingo ao acolhimento de quem visitava a Católica.

Joyce optou por maquiagem

E durante essa visita cheia de atrativos, houve também espaço para quem quisesse cuidar um pouco da beleza. Joyce Pereira, 20 anos, estava esperando o namorado, Sérgio Andrade, que tenta uma vaga no curso de Direito, e resolveu fazer uma maquiagem com as consultoras da Mary Kay. “Maravilhoso o serviço oferecido pela Universidade”, disse Joyce.

Marta fez pilates

Marta Maria veio de Santa Cruz do Capibaribe, Agreste do Estado, com a filha Maria Juventino Nascimento, 17 anos, que tenta uma vaga em Medicina. Marta fez uma sessão de pilates organizada pelo curso de Fisioterapia. A mãe da candidata achou “maravilhoso e espetacular ” a atividade e disse ainda se “sentir muito bem com o acolhimento da comunidade acadêmica”.

O que disse os feras – O acesso ao ensino superior mostra escolhas que podem trazer consequências para o resto da vida de qualquer um. Optar por uma carreira profissional passa também pela escolha de onde se vai começar essa trajetória. Nos depoimentos abaixo, candidatas dizem porque resolveram vir para a Católica.

Escolhi a Católica por ser uma Universidade organizada, referência em qualidade do ensino e do corpo docente – Geovana Costa, 20 anos, formada em Design Gráfico pela UFPE e candidata a uma vaga em Psicologia. 

Sempre quis fazer Direito na Unicap porque toda a minha família se formou aqui – Letícia Albuquerque, 17 anos, aluna da Academia Cristã em Boa Viagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

print
Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.