Roda de diálogos do Instituto Politeia recebeu candidatos da Rede

Os candidatos da Rede Sustentabilidade ao governo de Pernambuco, Júlio Lossio, e ao Senado Federal, Adriana Rocha, foram os convidados da série de roda de diálogos promovida pelo Instituto Politeia, a escola de política da Unicap. O evento aconteceu na noite desta segunda-feira (17) no auditório G1. O coordenador do curso de especialização em Ciência Política, Prof. Dr. Afonso Chaves, foi o debatedor. A mediação foi do jornalista Daniel França. Durante a sua apresentação, Júlio Lossio falou sobre violência, educação, saúde, sistema político brasileiro e desenvolvimento econômico e social. Ele destacou que seu programa de governo pretende investir na educação infantil inspirado no economista vencedor do Prêmio Nobel James Heckman.

“Ele mostra que os investimentos em educação infantil trazem retorno geométrico para a economia. Resolvi investir muito nisso quando fui prefeito (Julio foi prefeito de Petrolina de 2009 a 2016 pelo PMDB) e conseguimos abrir dez mil vagas na educação infantil. Se eu for governador, a pasta da educação infantil vai estar na mesa do governador”, disse Julio ao explicar que seu programa de governo está estruturado em cinco eixos: Cidadania, Infraestrutura e Mobilidade, Meio Ambiente e Inovação, Desenvolvimento Econômico e das Pessoas e Governança.

Ele também defendeu um redimensionamento do tamanho do Estado “menor para dentro e maior para fora. Muita gente defende o Estado Mínimo ou Máximo sem nem saber o que são. Nós defendemos um Estado menos para dentro, com menos assessorias. Queremos menos gente no Palácio e mais gente na ponta: mais agentes de saúde, mais médicos nos hospitais, mais policiais. Mais pessoas na ponta e menos na burocracia”.

Julio destacou o potencial econômico das várias regiões de Pernambuco como o polo gesseiro do Araripe, o de fruticultura de Petrolina, a vocação de centro de distribuição logística do Sertão Central. “O Estado não pode ter uma visão só arrecadadora e sim empreendedora. Pernambuco, infelizmente, está tendo uma visão tão somente arrecadadora e afugentando empresas da nossa região”.

Pró-reitor Comunitário, Pe. Lúcio, e o Prof. Manoel Moraes (Direito)
A coordª de Pedagogia, Elba Leitch, e o Pró-reitor de Graduação e Extensão, Prof. Dr. Degislando Nóbrega

Ele fez críticas à monocultura da cana-de-açúcar. “É o único lugar do mundo onde o cara quebra e continua rico: é em Pernambuco. O usineiro quebra e continua rico. Não tem usineiro quebrado em Pernambuco, tem usina quebrada. É muito estranho. Existe uma proteção feudal de uma cultura ainda escravocrata que torna a região da Mata a região mais pobre do ponto de vista psicológico. As pessoas têm baixa estima. A cana-de-açúcar produz desigualdade. Em todo lugar do mundo onde existe cana, tem uma alta desigualdade”.

Senado – A candidata Adriana Rocha, que é professora de Direito Constitucional na Unicap e Conselheira Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, falou dentre outros assuntos sobre o desafio das mulheres em disputar um cargo eletivo. Adriana é candidata pela primeira vez. “Eu acho que a gente precisa sair desse lugar, às vezes confortável, de sermos apenas eleitores e ousarmos um pouquinho nos colocando à disposição do eleitorado. Se nós não formos ocupar esse espaço que é nosso, o que é que acontece? A gente mantem as estruturas da mesma forma, do mesmo jeito que a gente critica”.

Uma das propostas apresentadas por Adriana é a de estabelecer mandato para os ministros do Supremo Tribunal Federal. “Hoje a gente tem a vitaliciedade. O ministro que entra na casa dos 40 anos idade significa que ele pode passar mais de 30 anos no conforto. Estudo isso há 22 anos, sei como é o sistema europeu, onde se faz o estabelecimento de mandato. Os nossos vizinhos aqui na América Latina, a maior parte se adéqua à necessidade de mandatos para aqueles membros da Suprema Corte. A gente tem que discutir sim”.

print

Compartilhe:

Deixe um comentário