Boletim Unicap

Seminário discute experiências de Mediação de Conflitos em PE

Fotos: Marcela Dubourcq

Ao longo desta terça-feira (11), a Universidade Católica de Pernambuco sediou o seminário Refletindo as práticas de Mediação de Conflitos em Pernambuco. O evento, que teve apoio do Instituto Humanitas Unicap (IHU), aconteceu no auditório Dom Helder Camara, no térreo do bloco A, foi promovido pelas secretarias estaduais de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude; Justiça e Direitos Humanos; e pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos da Prefeitura da Cidade do Recife.

O destaque da programação da manhã foi a palestra do professor Carlos Eduardo Vasconcelos, considerado uma referência nacional no assunto. Durante a sua explanação, ele defendeu que as comunidades e a juventude precisam ter a percepção da importância da escuta e do diálogo.

“Todo jovem precisa de reconhecimento e sentimento de pertencer a algo e o Estado não pode ficar numa posição como dono da verdade, já entregando soluções prontas. É preciso dar o apoio necessário que a comunidade precisa, para que seja desenvolvido uma política de transformação nas relações sociais”.

Um pouco antes da palestra magna, que foi acompanhada por representantes de núcleos comunitários de conflitos como mediadores, técnicos e outras pessoas envolvidas nas práticas de mediação, a representante da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), Conceição Costa, falou sobre a importância de unir as práticas de Mediação de Conflito.
“Queremos unir as práticas que acontecem aqui em Pernambuco sobre a mediação de conflitos com ênfase na mediação comunitária de conflitos e, ao final desse encontro, socializar essas práticas. Podemos constituir um comitê que a gente possa mensalmente dialogar sobre a a pauta da mediação aqui no Estado”, sugeriu.
Pensamento que é compartilhado pela secretária executiva de Articulação Social Ane Almeida. “A nossa expectativa é que a partir daqui a gente consiga formar uma rede e assim fazer um acompanhamento das experiências que existem e que tenhamos ótimos resultados”.
Quem representou a Católica e o próprio IHU foi a Profª Drª Valdenice José Raimundo. Ela fez parte da mesa de abertura e também alimentou a expectativa dos frutos que o seminário pode gerar no futuro. “Espero que as pessoas que estejam aqui, consigam compreender o conteúdo da cultura de paz, podendo construir ações”.
print
Compartilhe:

Deixe uma resposta