Provincial dos Jesuítas do Brasil discute o estudo da Teologia em visita à Unicap

A Universidade Católica de Pernambuco recebeu, na manhã desta quinta-feira (29), o Provincial da Companhia de Jesus do Brasil, Padre Palácio. A visita aconteceu a convite do Reitor, Padre Pedro Rubens, e do coordenador do curso de Teologia da Universidade, Cláudio Vianney, e teve como objetivo principal discutir o estudo e o ensino da Teologia na instituição. A reunião, que aconteceu no Salão Receptivo da Unicap, contou com a presença de professores do curso de Filosofia, Teologia e do Mestrado em Ciências da Religião.

Iniciando o encontro, Padre Pedro Rubens deu às boas-vindas ao Padre Palácio e mostrou desejo de realizar mais projetos em parceria com outras instituições jesuítas. “Quero dar as boas-vindas enquanto companheiro de uma mesma missão e ressaltar que a Católica está aberta para realização de intercâmbios com outras instituições de ensino superior jesuítas do país. Dessa maneira, fazer uma integração dessas universidades que procuram realizar uma mesma missão”. Ao final do discurso, Padre Pedro presenteou Padre Palácio com a Revista de Teologia e Ciências da Religião do  “O Risco da Interpretação: uma homenagem a Claude Geffré”.

Padre Palácio agradeceu a oportunidade de estar na Unicap e fez elogios à instituição. “A Católica está vivendo um momento muito rico e promissor, com tantas iniciativas sendo criadas, como o Instituto Humanitas, que estão promovendo o diálogo na comunidade entre fé cristã e fé teológica. Isso sem falar na impressão cultural que a Unicap está marcando no Recife.”

Além dos elogios, o Padre Palácio também deu direcionamentos de como um curso de Teologia deve funcionar dentro de uma instituição da Companhia de Jesus. De acordo com ele, o curso deve ser  um “diálogo entre fé e cultura”,  e, deve também, respeitar um tripé de reflexão. “Primeiramente deve-se fazer uma reflexão rigorosa sobre Deus, com confiança e seriedade.” Isso porque, de acordo com o Padre, muitos têm medo de pensar sobre a Teologia. “A própria Teologia não deve ter vergonha de si mesma e de cumprir o papel de reflexão sobre Deus. Temos que mostrar que ele pode ser encontrado e pode, inclusive, ser pensado.”

O segundo ponto defendido por Padre Palácio é de que a Teologia faça uma reflexão antropológica. “Não há possibilidade de separar a existência divina da compreensão do homem e da sociedade. O ser humano tem de ser visto com um indivíduo vinculado a Deus”.

Por último, o Padre Palácio defende que para que o pensar teológico se concretize, ele não pode estar desvinculado do papel da Pastoral. E esse é o ponto em que a maior parte das universidades tem dificuldade de cumprir.  “A pastoral tem de ser vista como algo inerente, que faz parte da própria maneira de nos aproximarmos de Deus. Uma presença pastoral na universidade deveria ser algo que permeasse um diálogo constante com as diversas áreas do saber. A pastoral não pode ser pensada apenas como algo apendicial – como acontece na maioria dos casos – ela tem de ser vista como a alma da Teologia. Se a teologia não é pastoral e não alimentar a vida espiritual, ela deixa de ser teologia.” O encontro desses três fatores de reflexão teológica, segundo Padre Palácio, deve estar articulado à crença em Jesus Cristo.   

O Bacharelado em Teologia da Universidade Católica de Pernambuco é considerado novo, visto que passou a ser reconhecido pelo Ministério da Educação em 2005. Uma das dúvidas que o atual coordenador do curso compartilhou com Padre Palácio diz respeito à Matriz Curricular. Vianney acha difícil organizar a matriz do curso, de modo a atender às exigências da Igreja e do governo. “De fato esse é um dos desafios que temos de enfrentar. O jeito é conciliar o que você pretende passar aos alunos, atendendo às legislações eclesiásticas e do governo”, afirmou Padre Palácio.

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.