Projetos de pesquisa da Unicap contemplados pelo Edital Universal do CNPq

O ano de 2019 mal começou e a pesquisa desenvolvida na Universidade Católica de Pernambuco já deu mais uma prova de qualidade acadêmica. Quatro projetos de pesquisa liderados por docentes da Católica foram selecionados pelo Edital Universal do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “Esse edital é um dos mais concorridos do País. Essas conquistas são um estímulo, um reconhecimento para a pesquisa desenvolvida na Unicap, além de contribuir para a consolidação dos programas selecionados”, comemorava a Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, Profª Drª Valdenice José Raimundo, ao parabenizar as professoras e professores selecionados. Os projetos contemplados são dos mestrados em Desenvolvimento de Processos Ambientais, Teologia e do Programa de Pós-graduação em Direito (mestrado e doutorado), que teve duas propostas aprovadas sendo uma delas tendo interface com Linguística. Confira no quadro abaixo a relação.

TÍTULO DO PROJETO EQUIPE COORDENAÇÃO
Produção de biossurfactantes com potencial de aplicação industrial Prof. Dr. Valdemir Alexandre dos Santos (UNICAP), Profª Drª Juliana Moura de Luna (UNICAP), além dos pesquisadores Raquel Diniz Rufino, Darne Germano de Almeida, Fabíola Carolina Gomes de Almeida e Rita de Cássia Freire Soares da Silva. Profª Drª Leonie Asfora Sarubbo.
Racismo institucional e discursos jurídicos – uma análise do fluxo processual do delito de homicídio praticado por Policiais em recife contra jovens negros Profª Dra. Virgínia Colares (UNICAP)

Profª Dra. Karina Nogueira Vasconcelos (UFPE)

Prof. Dr. José Luiz de Amorim Ratton Júnior (UFPE)

Profª Drª Érica Babini
Ideologia e Direito: estudos do discurso jurídico em relação aos grupos minorizados ou invisibilizados nas decisões judiciais

 

Dra. Fernanda Frizzo Bragato (coordenadora do PPGD da UNISINOS)

Dra. Débora de Carvalho Figueiredo (UFSC)

Dra. Érica Babini Lapa do Amaral Machado (UNICAP)

Dra. Netília Silva dos Anjos Seixas (UFPA)

Profª Drª Virginal Colares
O Novo Testamento e suas tradições textuais: formação, transmissão e recepção

 

Prof. Dr. Pedro Rubens Ferreira Oliveira e a pesquisadora Aíla Luzia Pinheiro de Andrade. Prof. Dr. Claudio Vianney

A tecnologia dos biossurfactantes é objeto de pesquisa da Profª Drª Leonie Asfora há anos, tanto que os estudos nesta área já conquistaram premiações nacionais a exemplo do Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável. Os biossurfactantes são detergentes naturais capazes de remover óleos que contaminam águas e solos. O projeto de pesquisa da Unicap trabalha para a produção de surfactantes de origem microbiana e vegetal. “Essas biomoléculas, além de representarem uma alternativa biocompatível aos produtos existentes, apresentam vantagens sobre os surfactantes de origem química, tais como a toxidade reduzida, biodegrabilidade e estabilidade”, explica Leonie ao ressaltar que o estudo visa progressos para tornar essa tecnologia viável comercialmente.

Uma das etapas do projeto prevê a aplicação na formulação de produtos cosméticos e farmacêuticos, na inibição da corrosão de superfícies metálicas e no controle do biofouling frente a organismos incrustantes marinhos. O projeto conta com oito alunos dos cursos de Engenharia Química e Ambiental, três alunos do mestrado em Desenvolvimento de Processos Ambientais e sete alunos do doutorado da Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio) pela Unicap. “Grande parte do valor aprovado será destinado à compra de equipamentos que irão contribuir com a melhoria das instalações laboratoriais dos cursos de Engenharia Química e Ambiental”, informa Leonie.

Os outros dois projetos vencedores do edital são da área jurídica, sendo um deles transdisciplinar. É o caso do projeto liderado pela Profª Drª Virgínia Colares, que visa verificar os modos de operação da ideologia nas práticas discursivas e práticas sociais das decisões judiciais. A pesquisa se utiliza da metodologia da Análise Crítica do Discurso Jurídico (ACDJ).

“A Linguística Aplicada ao Direito pode contribuir para um melhor entendimento das relações entre o uso da linguagem na construção do discurso jurídico, pois a prolatação de decisões judiciais e uma prática discursiva regulada pelos Códigos de Processo Civil e Penal, respectivamente”, diz um trecho do resumo do projeto. A interface Linguagem & Direito faz parte da agenda de estudos da linguista Virgínia Colares desde os anos 1980.

A Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação Profª Drª Valdenice parabeniza os pesquisadores selecionados

Entre as etapas da metodologia, está a de coleta e análise de dados a partir de levantamentos de decisões judiciais de tribunais das regiões Norte, Nordeste e Sul. São sentenças relativas a temas como violência doméstica contra a mulher, os direitos reprodutivos e sexuais das mulheres, negros, LGBT, população de rua e grupos indígenas. “Espera-se como resultado, ao desnaturalizar as relações de poder entre o Estado e grupos minorizados ou invisibilizados, contribuir com dados para a construção de políticas públicas de transformação social”, diz outro trecho do projeto.

A pesquisa coordenada pela Profª Drª Érica Babini também tem foco no social. Os pesquisadores vão mapear quantos jovens negros foram executados pela polícia, sob a alegação de resistência em abordagens, na periferia do Recife entre os 2014 e 2018, período marcado pelo declínio do programa Pacto Pela Vida. “O objetivo é mapear também qualitativamente e verificar quais são as representações sociais das polícias, Ministério Público e Judiciário sobre o uso letal da força bem como o que considera sobre o papel da vítima que foi morta”, diz Érica.

Ainda de acordo com ela, a hipótese que norteia o trabalho é a de que a maioria das vítimas fatais da polícia é de jovens negros das periferias e que “esses casos passam anos parados e na maioria das vezes sem responsabilização do autor do fato, com claros argumentos de racismo institucional”. O estudo pretende mapear quantos processos “andaram” no sistema de justiça criminal e quais são os respectivos desfechos.

Outro projeto de pesquisa contemplado no edital está situado na área da Teologia. O estudo intitulado O Novo Testamento e suas tradições textuais: formação, transmissão e recepção “pretende investigar as questões da formação do texto do Novo Testamento, os modos de sua transmissão manuscrita, impressa e digital, e as formas de sua recepção entre os exegetas, os artistas e as comunidades cristãs”, explica um trecho do resumo.

Ainda segundo o projeto, o Novo Testamento apresenta Jesus e a Igreja tendo como referência o Antigo Testamento, que já “era pluriforme, existindo em hebraico, grego e aramaico. Uma vez que se tornou escrito, o Novo Testamento foi sendo transmitido pela tradição manuscrita, tanto em grego como nas traduções nas línguas antigas do cristianismo. A recepção do texto, por sua vez, cria uma tradição interpretativa da parte de seus leitores, que envolve o texto em múltiplas direções”, afirma outro trecho do resumo. O projeto tem entre membros da equipe de pesquisadores o Reitor da Unicap Prof. Dr. Pe. Pedro Rubens.

print
Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.