Primeiro dia da XXII Semana de Estudos Linguísticos e Literários homenageia a professora Wanilda Cavalcanti

O curso de Letras, juntamente com o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem, está promovendo a XXII Semana de Estudos Linguísticos e Literários. O tema deste ano é “A palavra do dia: processos em transformação”. A cada dia, o evento prestará homenagem a uma pessoa relevante para a área. No primeiro dia, a professora Wanilda Cavalcanti foi homenageada por sua atuação na área de Libras.  No segundo dia, será a vez de reverenciar o poeta Carlos Pena Filho pela sua contribuição à literatura; e, no encerramento, o homenageado será o gramático e linguista Evanildo Bechara pela relevância do seu trabalho na área de linguística.

Na abertura do evento, o tema abordado foi  “Minorias invisíveis na escola: quem as determina” e contou com a presença da professora Wanilda Cavalcanti e de orientandos e colegas de trabalho. A mesa foi composta pelo Padre Jurandir Dias Junior, Izabelly Brayner, Sueli Rached e Michele Carvalho. “O trabalho dela com os surdos não é somente linguístico, mas também de transcender limites, superar as barreiras e fazer com que essas pessoas tenham o seu reconhecimento, vez e voz”, destacou Jurandir.

A professora Wanilda, que está na Católica há 37 anos, recebeu a homenagem muito emocionada. A saudação foi feita pela ex-aluna Gabriela Lima, que falou sobre a trajetória da professora e leu mensagens da família. A homenageada da noite agradeceu pelo reconhecimento. “O que eu faço é o que tantos fazem. É algo que me sensibiliza, e que traz uma responsabilidade maior ainda pelo o que a gente pode fazer”, frisou.

O professor de Letras e organizador geral do evento, Robson Teles, ressaltou a importância da Semana de Estudos Linguísticos e Literários e da discussão que foi feita à mesa para a inclusão social e os direitos às pessoas com necessidades especiais. “Essas crianças precisam ir para a escola e ter inclusão. A noite de hoje propõe uma reflexão a respeito dos surdos, cegos e pessoas que têm problema com o zika vírus”, ressaltou.

O coordenador do curso de Letras da Católica, professor Antonio Moraes, destacou a relevância do evento e do tema abordado. “O curso de Letras fica extremamente feliz em, finalmente, voltar o olhar para a escola, para o ensino e para a inclusão. E o mais importante: discutir a inclusão como manutenção do direito de acesso e de condições de permanência de todas as pessoas nos diversos espaços da sociedade, e problematizar a educação inclusiva”, enfatizou.

 

 

 

 

Por: Clara Souza e Natália Freire

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.