PERIPATHÉIA DAS RELIGIÕES: HUMANITAS EM DIÁLOGO

Artur Peregrino*

Neste sábado, 12 de maio, um grupo de 70 alunas/os de diversos cursos da Unicap,  juntamente com quatro professores do curso de Teologia, Luiz Moura,Vanderlei Lain, Artur Peregrino e Gilbraz Aragão, esteve empenhado em uma atividade de diálogo inter-religioso. O Instituto Humanitas Unicap e a Pós-Graduação em Ciências da Religião foram parceiros na realização.

A Peripathéia das Religiões é uma atividade que nasceu, há mais de dez anos, e que se realiza a cada semestre. Tem o objetivo de fazer uma experiência de diálogo inter-religioso considerando a presença de religiões encontradas no Recife e Olinda. Dessa vez, teve a participação do Islamismo e do Budismo. Tudo teve início na sala do Instituto Humanitas Unicap com o café
da manhã e um momento de oração ecumênica.

Primeiro visitamos o Centro Cultural Islâmico Imam Sadeq, que fica em Olinda, no bairro de Jardim Atlântico. Fomos recebidos pelo sheikh Khaliloo, fundador do CCIIS. Foi um encontro muito agradável, no qual o sheikh fez uma explanação do que é a história do Islamismo e o seu legado para os dias de hoje. Os alunos fizeram muitas perguntas na ocasião. O que proporcionou um diálogo de conhecimento mútuo. Por fim, o sheikh indagou: “Quais são as melhores ações? É alegrar o coração dos seres humanos, alimentar os famintos, ajudar os aflitos, aliviar a dor da tristeza, e remover os sofrimentos dos feridos”.

Já no Budismo tivemos a oportunidade de voltar no Templo Fo Guang Shan, que fica à beira mar em Casa Caiada, também em Olinda. Fomos recebidos pelo mestre budista Antony. A exuberância do Templo Budista encantou os alunos. Antes de subirmos para o Templo dos Budas, lia-se as regras de comportamento em todo o recinto. O velho mestre budista nos exortava: “Se aplicarmos os ensinamentos de Buda em nosso cotidiano, seremos capazes de resolver todos os nossos problemas internos e obter uma mente verdadeiramente tranquila. Sem paz interior, a paz exterior é impossível”.

Foram encontros ricos em humanidade. Todos os alunos estão estudando as disciplinas Humanidade e Transcendência e Humanismo e Cidadania. Foi um aulão de humanismo. Hoje se fala em novos ambientes educativos inovadores, também
conhecidos como “salas de aula do futuro”. A Peripathéia das Religiões quer ser um espaço de aprendizado, onde se forja novos ambientes pedagógicos. Propiciando e utilizando de “novas metodologias”, nomeadamente, neste caso,
colocar os pés na estrada. Na metodologia, mostramos como uma experiência chamada de Peripathéia pode motivar os alunos e alunas à uma participação efetiva na disciplina. Sobretudo, a disciplina Humanidade e Transcendência, tem como objetivo propiciar um conhecimento crítico e respeitoso do fenômeno religioso global. Se propõe também a analisar as principais semelhanças e diferenças das grandes religiões.

Giulia Muniz da Silva, do 1º período de Psicologia, uma das participantes da Peripathéia das Religiões assim se expressou: “Eu não imaginava que essa atividade seria tão rica em conteúdo. Estudar as religiões dessa maneira é extremamente empolgante. Gostaria de continuar fazendo essa experiência”.


*Professor de Teologia e membro do Instituto Humanitas Unicap.

print

Compartilhe:

Deixe um comentário