Mutirão de atendimento para Bolsas de Inclusão Racial

A Universidade Católica de Pernambuco montou um verdadeiro mutirão para atender as pessoas que procuraram as Bolsas de Inclusão. Ao longo de toda esta sexta-feira (16), a movimentação foi intensa no auditório G2. Equipes da Tecnologia da Informação instalaram vários computadores para que os candidatos agilizassem as inscrições. A Assistência Social contou com a ajuda de outros setores da Unicap para fazer um plantão especial de orientação aos candidatos.

Cleciane

Enquanto esperavam nas filas, muitos já sonhavam com a expectativa de fazer parte de uma das melhores universidades do Brasil com bolsa de 100%. “Achei uma oportunidade maravilhosa de fazer o curso que sempre quis, que é o de Filosofia. A representatividade negra ainda é muito baixa em certos espaços”, disse Cleciane Virgínia Melo de Lima, 39 anos, moradora do bairro do Coqueiral, Zona Oeste do Recife, já no limite com Jaboatão dos Guararapes.

Stefane

O programa de Bolsas de Inclusão Racial chamou a atenção de gente de todas as idades. É o caso de Stefane Souza, 18 anos, que veio do bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife. “Achei a iniciativa muito legal porque pelo Prouni está bem difícil. São poucas as universidades que oferecem esta oportunidade fora do período do Prouni”, disse a jovem que busca vaga na Licenciatura em História.

Gerusa e Lucas

Houve quem viesse acompanhado dos pais ou de parentes. Lucas Lima, 18 anos, do bairro da Estância, também na Zona Oeste do Recife, sonha em cursar Direito. “Achei a iniciativa bastante interessante porque temos muitas dificuldades de ingressar nas universidades federais”, disse o rapaz que estava ao lado da mãe, a dona de casa Gerusa Nascimento Feitosa. “Ótima iniciativa essa da Católica”, afirmou ela.

Eliane Emídio, 56 anos, veio com a filha, Lorena Liandra, 20, e também expressou a satisfação com a acolhida da Universidade. Achei uma oportunidade excelente porque vai contribuir para a carreira dos jovens que querem algo na vida. Que eles lutem para conseguir o que eles querem. A Universidade abriu as portas para quem necessita mesmo e tem uma localização muito boa”. Para Lorena, a Católica é uma “instituição quem vem se engajando em causas importantes da atualidade. Esse programa (de bolsas de Inclusão racial) é muito importante, muito positivo por criar espaços para negros e indígenas nas universidades”.

Quem também vibrava com a ação da Católica que dobrou o número de Bolsas de Inclusão Racial de 100 para 200 era a jovem Raynara Cardoso, 22 anos. A moradora do bairro de Apipucos, Zona Norte do Recife, foi aprovada no curso de Publicidade e Propaganda em outra etapa do processo seletivo via Enem e solicitou uma bolsa. “Achei a ideia excelente porque muita gente não passa em universidade pública e a Católica, pra mim, é simplesmente a melhor universidade de Pernambuco! Vocês foram muito atenciosos e se esforçam bastante para ajudar a gente”.

O valor institucional da Unicap também foi bastante reconhecido por quem estava sendo atendido. “Todo mundo sabe o peso que o nome Unicap tem, então isso é uma oportunidade incrível pra gente”, disse Patrícia Wanaikcy, que tenta uma vaga no curso de Fisioterapia.

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.