Boletim Unicap

Maiores sucessos da história do samba marcam show do MBP Unicap

Surgido da mistura de estilos musicais de origem africana e brasileira, o samba costuma ser tocado com instrumentos de percussão (tambor, pandeiro, surdo, entre outros) e acompanhado por violão e cavaquinho. Suas letras costumam falar da vida e do cotidiano de quem mora nas cidades, geralmente sob uma perspectiva das camadas mais pobres. O termo samba é de origem africana e tem seu significado ligado às danças típicas tribais do continente.

O primeiro samba gravado no Brasil foi Pelo Telefone, em janeiro de 1917, cantado por Baiano. Este ano, completam-se 100 anos deste marco e por isso o MPB Unicap, em parceria com a Pró-reitoria Comunitária, resolveu homenagear o centenário do Samba realizando uma apresentação no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu,  intitulado Enredo do meu Samba.

Para Percy Marques, o cenário musical brasileiro atual deixa a desejar, mas ressalta que existe muita música de qualidade fora dos holofotes. “A MPB está um pouco pobre e o samba também faz parte disso. De qualquer maneira, há muito sambista fazendo música de qualidade, mas que talvez não tenha um apoio midiático, mas sempre vai ter gente que faça coisa boa mesmo que fique ali escondido no fundo do armário”.

Durante pouco mais de duas horas de apresentação, os cantores e instrumentistas que formam o MPB Unicap interpretaram alguns dos maiores clássicos da história do samba como Jura (Sinhô), Aquarela do Brasil (Ary Barroso), Verdade (Carlinhos Santana/Nelson Rufino) e claro, Pelo Telefone (Donga e Mauro de Almeida), que não poderia ficar de fora. O ponto alto da noite, para muitos espectadores, foi a execução da música Berimbau e Consolação. A canção foi um encontro entre o samba e a capoeira, onde o Mestre Corisco e Percy fizeram um dueto com o berimbau e violão.

Um grande número de apaixonados pelo samba compareceu ao espetáculo. Dentre eles, seu Antonio Guedes, que marcou presença na edição do ano passado e fez questão de voltar. “Vim no ano passado e achei excelente! (Contou com euforia). Decidi voltar pela alta qualidade dos músicos e, principalmente, pela temática. O samba ainda é e sempre será o nosso carro-chefe nacional. Viva o samba, viva a cultura brasileira”.

O Padre Pedro Rubens, Reitor da Universidade Católica de Pernambuco, prestigiou o show e fez um paralelo entre o samba e o Dia da Independência, que comemoramos no 7 de Setembro. “Nessa semana da pátria, a melhor homenagem que podemos fazer ao nosso Brasil é cantar o samba que nasceu dos morros, do suor do trabalhador, do sofrimento e que desceu a rua e chegou aos palcos. O nosso país está passando por uma fase muito difícil e sombria, mas quando a gente escuta tantos sambas que atravessaram tantas crises na história a gente volta a ter esperança e o coração bate como um pandeiro de uma roda de samba”.

Confira um trecho da performance abaixo:

 

Galeria de Imagens:

 

print
Compartilhe:

Deixe uma resposta