Inauguração do Quilombo Marielle Franco – Coletivo de estudantes negros da Unicap

A partir da necessidade de cuidado e resistência, 35 jovens da Universidade Católica, entre eles, alunos dos cursos de Direito, Medicina, Jornalismo e Psicologia, se reúnem em busca de uma integração dentro do ambiente acadêmico. O grupo Quilombo Marielle Franco existe há 7 meses como uma rede de autocuidado aos alunos negros, para que reconheçam que existe um espaço de resistência na Universidade, também como forma de atingir alunos de toda a comunidade acadêmica. Dentro desse processo, os alunos trazem levantamentos e pautas nas questões raciais dentro da Universidade e fora dela.
O evento de inauguração do coletivo aconteceu nos dias 18 e 19 de outubro, com finalidade de apresentação para o corpo discente e docente da Unicap, sendo também aberto ao público. No primeiro dia, alunos se reuniram em frente à Biblioteca Central, ao ar livre, trazendo um momento dinâmico. O grupo trouxe artistas negros da periferia para somar ao evento, trazendo a roda de coco do Seu Zé Moleque e Rap. 

Na manhã do segundo dia, houve mesas de diálogo, no auditório CTCH, 1º andar do bloco B. No primeiro momento, na mesa 1, foram pautadas questões sobre o Racismo Institucional. Com a presença do Prof. Dr Alexandre de Jesus, coordenador da Cátedra Gilberto Freyre da UFPE, Gioconda Sousa, psicóloga e mestranda em Consumo Cotidiano e Desenvolvimento Social na UFPE e com o Prof. Mestre Renato de Almeida Freitas, pesquisador na área de Direito Penal, Criminologia e Sociologia da Violência.

Na mesa 2, foi tratada a questão da Experiência negra no corpo discente, com a estudante de Serviço Social da UFPE Jard Araújo, representando o coletivo Cara Preta, a estudante de Direito da UFPE Karoline Monte, representando o Grupo de Estudos Afrocentrados Baobá, e a estudante de Medicina da UPE Milena Lopes, representando o coletivo NegreX.

E, no último momento do evento,  houve a mesa 3, no auditório Dom Helder Camara, pautando questões sobre a Docência Negra: Experiências e compartilhamentos de vida. Com a presença do Prof. Mestre Marcos Netto, que leciona Direito Processual Civil na Unicap, Prof Dra. Rogéria Gladys, que leciona Direito do Trabalho na Unicap e UPE, e o Prof. Mestre Luís Henrique Nogueira, que ensina Direito do Trabalho na Unicap.

Como um evento inédito na Católica, os dois dias de atividades contaram com a participação e integração de muitos membros atuantes do movimento negro, deixando os auditórios lotados. “Esse grupo surge a partir de uma necessidade de cuidado, porque a gente entra na universidade muito isolados, pois a maioria é bolsista e aluno de escola pública, então precisamos de um espaço para debater e integrar esses jovens”, diz Lídia Lins, estudante do 5º período e atuante do grupo Quilombo Marielle Franco.

print
Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.