Boletim Unicap

Documentário que retrata o assassinato do procurador Pedro Jorge será exibido na UFPE

O documentário “Pedro Jorge: uma vida pela justiça”, que relata a história do assassinato do procurador da República Pedro Jorge de Melo e Silva, responsável por denunciar os envolvidos no Escândalo da Mandioca, será exibido na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Recife. A sessão especial, promovida pelo Instituto Futuro, será nesta quarta-feira (6), às 16h30, no auditório do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), com entrada gratuita.

O documentário foi produzido pelo Ministério Público Federal na 5ª Região e pela Universidade Católica de Pernambuco e foi lançado em março deste ano, em sessão inaugural no Cinema São Luiz. O média-metragem, produzido sem fins lucrativos e com recursos e pessoal próprios, faz um resgate histórico do trágico episódio do assassinato de Pedro Jorge, que ocorreu há 35 anos. Entre os entrevistados, estão os ex-procuradores- gerais da República Rodrigo Janot, Geraldo Brindeiro e Aristides Junqueira, o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, e familiares de Pedro Jorge, entre outras personalidades.

Quem tem recordações da década de 1980 certamente deve lembrar do Escândalo da Mandioca. Dezenas de pessoas obtiveram empréstimos irregulares no Banco do Brasil no município de Floresta, no Sertão de Pernambuco, com o suposto objetivo de cultivar mandioca. Nada era plantado, e os beneficiários ainda recebiam o dinheiro do seguro agrícola, alegando terem perdido a safra por conta da seca.

Responsável por investigar e denunciar os envolvidos no esquema, Pedro Jorge vinha sofrendo ameaças dos denunciados e pressões para abandonar o caso, mas decidiu seguir em frente com seu trabalho. Ele foi morto no dia 3 de março de 1982, com três tiros à queima-roupa, ao sair de uma padaria no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, onde comprara pão e leite para o jantar em casa. Tinha apenas 35 anos de idade. O autor dos disparos foi o pistoleiro Elias Nunes Nogueira, contratado pelo então major José Ferreira dos Anjos, um dos envolvidos no esquema
de corrupção em Floresta.

Biografia

Pedro Jorge de Melo e Silva nasceu em Alagoas, no dia 21 de setembro de 1946. Tinha oito anos quando ingressou num seminário em Maceió (AL) e seguiu a carreira religiosa até os 22 anos de idade, quando deixou o Mosteiro de São Bento, em Olinda (PE), onde concluiu o curso de Filosofia. Bastante culto, estudou francês, inglês, alemão e grego, e era um pianista muito talentoso.

Primeiro colocado no vestibular do curso de Direito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Pedro Jorge formou-se em 1972. Dois anos depois, foi aprovado no concurso para procurador da República, e ingressou no MPF em 1975, na Procuradoria da República em Pernambuco. Nesse mesmo ano, casou-se com Maria das Graças Viegas, com quem veio a ter duas filhas: Roberta e Marisa.

Serviço:
Exibição do documentário “Pedro Jorge: uma vida pela justiça”
Quarta-feira, 6/12, às 16h30
Auditório do CTG/UFPE
Haverá debate com convidados e com o público logo após a exibição do filme
Entrada gratuita e pública

print

Compartilhe:

Deixe uma resposta