Discurso do Reitor na colação de grau da primeira turma de Medicina da Unicap

Momento único, inaugurando um novo tempo!

Esta colação de grau é um momento único para cada um de vocês e suas famílias [a quem gostaria de abraçar, muito especialmente] … Momento único para a Unicap, para Pernambuco, para o Brasil e, como não dizer, para o mundo inteiro: realmente, nunca foi tão importante, necessário e urgente formar mais médicas e médicos [uma das marcas da turma 01 é a grande maioria de mulheres!]. A data de hoje e a maneira como estamos celebrando não são meros detalhes: vocês serão agentes de saúde do Pós-pandemia, uma experiência que uniu o mundo inteiro em uma guerra contra um inimigo comum. Mas, se, nas duas primeiras guerras mundiais, os agentes de saúde atuavam para tentar salvar as vidas que restavam depois das grandes batalhas, agora, nesta guerra contra o coronavírus, esses profissionais são os verdadeiros guerreiros e guerreiras, posicionados na linha de frente para salvar pessoas, arriscando a própria vida.

“Nada será como antes, amanhã” como diz a canção… E quem desejar, simplesmente, voltar à “normalidade”, vai perder uma oportunidade única de mudar e repensar a vida… Mas, ao mesmo tempo, querendo ou não, vai declarar não ter aprendido nada com a experiência difícil da quarentena, os desafios do distanciamento social, a dor de tanta gente por tantas vidas perdidas, a insuficiência do sistema de saúde mundial [e muito mais em um país desgovernado como o nosso!], o desmascaramento das desigualdades sociais, a impotência das ciências [sem negar a importância!], a revelação da fragilidade humana e, paradoxalmente, o valor imprescindível de profissionais que cuidam da saúde, de cada pessoa como única e da humanidade inteira.

Três sentimentos principais revelam o significado do ato que estamos realizando aqui e agora: um momento histórico, um valor agregado e uma missão sem fronteiras…

1. O curso de Medicina que vocês inauguraram é um momento histórico em si mesmo e para nós da Universidade Católica de Pernambuco. Depois de sete décadas de atuação em outras áreas, a Unicap arriscou a decisão de abrir uma faculdade de Medicina, a primeira da rede jesuíta no país. Esse pioneirismo foi possível porque a sociedade solicitou, porque o Governo Federal e local (Estado e RMR) precisavam responder às demandas da região, porque realizamos parcerias com instituições públicas (Hospitais Agamenon Magalhães, Otávio de Freitas e PSF de Olinda) e filantrópicas de saúde (Hospital Maria Lucinda e Santa Casa de Misericórdia), e, enfim, porque a Igreja, a ordem dos jesuítas e todos os que fazem a Católica de Pernambuco não poderiam deixar de contribuir na formação de agentes de saúde com a referência do humanismo cristão, aberto ao diálogo com as ciências e outras formas de crer e de pensar. A partir desta primeira turma de concluintes, completamos um ciclo, marcados com o selo da nota máxima do MEC (conceito 5!). Nada seria possível, porém, sem a dedicação total de nossos professores e funcionários que trabalham desde o primeiro núcleo docente à preparação desta cerimônia e dos certificados que serão entregues imediatamente depois desta colação, tudo virtualmente: muito obrigado, de coração. Assim, agradecidos, podemos dizer uns aos outros, familiares, estudantes, professores e alunos: missão cumprida!

2. A educação é um bem inalienável e um valor agregado inestimável. Na Unicap, a qualidade acadêmica visa à
excelência humana: isso significa que não somente necessitamos de “mais médicos” no Brasil e no mundo, mas, sobretudo, que precisamos de médicas e médicos melhores para um mundo mais saudável. A humanização da Medicina é uma agenda que não pode mais esperar. A formação integral e a realização profissional não podem, consequentemente, ficar à mercê do mercado: a vida não é mercadoria e o profissional de saúde não pode ser um
mero agente de vendas dos grandes laboratórios. A vocação de cuidar e salvar vidas é, como diria o poeta F. Pessoa, “tão humana que é divina”.

3. Salvar vidas é, mais que nunca, indissociável do cuidado com o planeta… Esta colação de grau acontece na Semana Laudato Sí, em comemoração do 5º ano da encíclica do Papa Francisco sobre o cuidado da Casa Comum. Neste manifesto, o diagnóstico é de que o planeta e a sociedade estão adoecidos, realidade que a atual crise sanitária evidencia, exponencialmente. De fato, tudo está interligado: a crise ecológica é inseparável da crise social… Por isso, o Papa Francisco postula uma “ecologia integral” que cuide da vida do planeta e, ao mesmo tempo, das pessoas mais vulneráveis, os pobres descartados por este modelo de economia global. Não há saúde de um órgão do corpo que não tenha efeitos sobre todo o organismo… E, com esta crise mundial, podemos dizer que não haverá segurança sanitária em um país enquanto não houver saúde em todos e para todas as pessoas ou vida no planeta… Assim, vocês serão [são!] os agentes de uma saúde completamente mundializada, o que amplia o sentido da
missão médica, mas também a responsabilidade com o bem estar integral.

Não posso concluir sem agradecer, profundamente, aos pais e familiares que apostaram [e investiram!] nesse sonho de vocês e confiaram à Unicap este período fundamental de formação. Realizado este grande sonho, porém, nossa maior aposta, a partir de agora, é que vocês façam a diferença, pois, nada poderá ser como antes: vivemos em sociedades adoecidas, mas, cremos que outro mundo é possível. No entanto, será preciso mudarmos o nosso estilo de viver e de cuidar da vida da humanidade inteira e de nossa casa comum. Nessa missão, vocês serão muito felizes e, certamente, não estão sozinhos: permaneceremos juntos.

Muito obrigado!

Prof. Dr. Pe. Pedro Rubens, SJ
Reitor da Unicap

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.