Curso de Jornalismo da Unicap ganha prêmio nacional

Com reportagem de Tércio Amaral

O curso de Jornalismo da Unicap vai completar 50 anos em 2011. Mas, os alunos e professores já estão comemorando de forma antecipada. Este ano, além de receber o Encontro Nacional de Professores de Jornalismo e de ter tido a professora Ana Veloso indicada pelo presidente Lula para o Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação, a comunidade acadêmica da Católica recebeu mais uma boa notícia. O projeto Vozes da África – A cidadania das mulheres negras pernambucanas nas ondas do rádio, idealizado pelos professores do curso Ana Veloso, Vlaudimir Salvador e Paulo Nunes Fradique e pela professora de Publicidade e Propaganda Elisa Barreto foi agraciado com o prêmio Roquette-Pinto.

Foram selecionados 40 projetos em todo o Brasil. Cada produção premiada vai contar com R$ 20 mil em verbas para a realização dos programas. O projeto da Unicap foi selecionado na área de radiodocumentário. Essa categoria, este ano, contou com o maior número de inscrições. Os programas serão veiculados nas emissoras de rádio do Governo Federal vinculadas à Arpub – Associação de Rádios Públicas. Em Pernambuco, a Católica foi a única instituição de ensino superior selecionada. Outro projeto classificado no estado foi o da ONG Diálogos.

A série de documentário radiofônico Vozes da África – A cidadania das mulheres negras pernambucanas nas ondas do rádio terá seis programas especiais. O formato e as etapas já foram definidos. Entre os destaques estão “As trabalhadoras domésticas” e “As quilombolas”. O primeiro grupo é alvo de campanhas de direitos trabalhistas e sociais, como a recente do uso de elevadores sociais, e o segundo, trata da história de ex-escravas que lutam pelo direito legítimo à terra, pela cidadania e pelo reconhecimento histórico-cultural na formação da identidade brasileira.

Entre os idealizadores do projeto, a professora Ana Veloso mostrou o maior entusiasmo. Foi ela a responsável pela mobilização dentro do curso de Jornalismo. “É importante para a gente pelo fato de ser mais um esforço para estimularmos nossos alunos para a produção de programas de rádio. São produções que, infelizmente, não estão em emissoras locais. Mas, é bom frisar que são temas presentes em sala de aula ou em nossa programação acadêmica, a exemplo da Semana de Jornalismo”, afirmou.

A principal característica do projeto premiado é a temática voltada para o resgate da cidadania de grupos excluídos da grande mídia, como o negro e a mulher. Ana Veloso, que é formada em Jornalismo pela Unicap, se envolveu com projetos sociais desde o início de sua graduação. “Esse trabalho vai ser belíssimo A mulher negra faz parte de agentes sociais considerados invisíveis pela grande mídia brasileira. São programas de interesse público e importante para a construção da ética em nossas mídias”, disse a professora, que também é aluna do Doutorado em Comunicação da UFPE.

Mas, comunicação social também é um exercício de coletividade. Essa característica somada à garra e entusiasmo faz parte do curso de Jornalismo da Católica. Pois, o envolvimento com o projeto foi desde o coordenador do curso, Alexandre Figueirôa, até professores e técnicos do quadro de funcionários. “A gente contou com o apoio de todos. Temos que agradecer ainda ao técnico do estúdio de rádio Marcos Cavalcanti, conhecido como Gordinho. Ele foi um das pessoas que me mostrou o edital e disse: ‘Vamos nessa’?”, ressaltou Ana Veloso.

Aliado ao entusiasmo e dedicação, a experiência de profissionais como Vlaudimir Salvador deu ânimo à iniciativa. Orientador de projetos como “O desafio de informar”, da jornalista Taís Paranhos e agraciado com o prêmio Cristina Tavares, em 2000, o professor avaliou a premiação como um marco de renovação do radiojornalismo produzido na Universidade. “Serão programas veiculados em todo o Brasil. Nesse curto espaço de tempo entre o resultado final e divulgação, já falei com alguns alunos e todos toparam”, disse animado.

Segundo Vlaudimir Salvador, o curso de Jornalismo da Unicap já vem suprindo a carência de produções especiais em Radiojornalismo em Pernambuco. Para ele, desde o fim da década de 70, as rádios locais não investem no setor de forma satisfatória. “No estado, foram revelados pelo rádio nomes como Arlete Sales, Chacrinha e Lucio Mauro. A Unicap tem convênios com emissoras de rádio do Recife e elas transmitem os trabalhos dos nossos alunos preenchendo essa lacuna. Temos também a reformulação da Rádio Olinda, que é outra boa notícia”, disse.

Para o professor e ex-chefe do Departamento de Comunicação, Paulo Fradique, o prêmio representa mais um reconhecimento da qualidade do curso de Jornalismo da Católica. “Eu vejo como mais um estímulo para o curso que vai completar 50 anos, em 2011. Já tive trabalhos que foram selecionados para o Expocom, do Intercom, e outros também foram premiados no estado”, disse orgulhoso.

A lista dos projetos selecionados está no site da Associação das Rádios Públicas do Brasil – Arpub. Para conferir, é só acessar o endereço eletronico: http://www.arpub.org.br/documentos/Premio_Roquette_Pinto_Projetos%20Selecionados_%2014_06_2010.pdf

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.