CTCH realiza I Fórum das Licenciaturas da Unicap

O Centro de Teologia e Ciências Humanas – CTCH, da Universidade Católica de Pernambuco, realizou na noite do dia 4 de junho, no Auditório do CTCH, 1º andar do bloco B, o I Fórum das Licenciaturas da Universidade Católica de Pernambuco. O evento teve como tema “Formação de professores e a BNCC: desafios e oportunidades” e contou com os palestrantes a coordenadora do curso de Pedagogia da Católica, professora Maria do Carmo Souza Motta, e o coordenador da Unicap Digital, professor Padre Carlos Jahn.

Participaram do Fórum o Pró-reitor de Graduação e Extensão, professor Degislando Nóbrega; o Diretor do CTCH, professor Danilo Vaz-Curado; a Assessoria Administrativa do CTCH, professora Flávia Ramos, coordenadora das licenciaturas da Universidade, professores e representantes das Redes Municipal e Estadual de Ensino.

Segundo o Diretor do CTCH, professor Danilo Vaz-Curado o Fórum tem a função de ser articulador. “A Universidade tem que pensar os processos pedagógicos, não apenas na formação de professores, mas na formação de educadores. Então, ouvir a comunidade, ouvir as Redes Municipal e Estadual, ouvir os alunos serão os insumos para o projeto pedagógico e esse Fórum tem essa função. Nesse primeiro momento, participaram gestores da Rede Estadual e da Rede Municipal de Ensino. No próximo encontro, no segundo semestre, virão os professores, que recebem os alunos da Unicap no estágio; diretores, agentes de ensino, membros da sociedade civil. Haverá encontros do Fórum a cada dois meses, a média é que sejam realizados dois encontros por semestre”, explica professor Danilo.

No início do evento, o Pró-reitor de Graduação e Extensão, professor Degislando Nóbrega cumprimentou os presentes e falou sobre o impulso importante e decisivo que as novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) trouxeram. “Aqui na Universidade, por exemplo, há algum tempo, nós estamos refletindo, trabalhando, buscando, corrigindo rumos em torno de melhor conceber a formação dos nossos futuros professores, com maior identidade, consciência dessa missão. Temos alguns Grupos de Trabalhos, GTs, com a atribuição de colocar elementos de ordem prática para a ativação e funcionamento. No momento em que a gente concorreu ao edital da Capes, de Bolsas para Residência Pedagógica, Programa de Iniciação à Docência (Pibid) e, aqui parabenizo os colegas que tanto se empenharam. Hoje, nós temos um número muito significativo de bolsas. Esse processo custou muita energia para a gente obter esse resultado positivo, junto à Capes, na obtenção de bolsas que nossos alunos desfrutam. Não se trata apenas da bolsa, mas sim da própria concepção do programa, na busca da interação entre teoria e prática, no campo e na academia”, disse professor Degislando.

“Por exigência desses dois programas (Residência Pedagógica e Pibid), a gente cogitou e viu que tínhamos que formar o Fórum das Licenciaturas. Esse momento faz parte da caminhada. É uma construção e a gente dá esse pontapé inicial e o Fórum vai ter que formular algumas questões com uma maior clareza; fortalecer essas questões com as Redes Municipal e Estadual de Ensino e isso é muito bom. Registro aqui que a Universidade participa do Fórum Municipal de Educação, com muita assiduidade, por meio da professora Maria do Carmo Motta, há anos a gente tem buscado contribuir. Então, o Fórum é uma oportunidade de fortalecer essa relação e trazer as demandas e as percepções da Área Educacional no desafio de formar os futuros professores, com esses desdobramentos da atualidade. Buscar a ampliação da participação dos alunos, de representação dos alunos e, talvez, até de outras áreas do conhecimento da Universidade e se envolver nesse desafio e missão da formação de futuros professores” conclui professor Degislando Nóbrega.

Em seguida, começou a palestra “Formação de professores e a BNCC: desafios e oportunidades”, apresentada pela coordenadora do curso de Pedagogia da Católica, professora Maria do Carmo Souza Motta. A palestrante falou sobre as mudanças na sociedade em função da globalização e os impactos das tecnologias inovadoras, destacando que os estudantes estão no século XXI; os professores no século XX e a educação permanece no século XIX. Outro ponto apresentado foi a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – bases legais, com destaque para as metas 13, 15 e 16 das diretrizes pedagógicas. A Meta 13 foca na melhoria da qualidade dos cursos de pedagogia e licenciaturas; a Meta 15, relaciona a renovação pedagógica com foco na aprendizagem por meio das Tecnologias de Informação e Comunicação, TICs; e a Meta 16 destinada a consolidar a política de formação de professores da Educação Básica.

A professora Maria do Carmo falou sobre os conceitos do BNCC. “Documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais. Expressa o que a nação espera da escola; assegura os direitos à aprendizagem e desenvolvimento, conforme o Plano Nacional de Educação (PNE – período de 2014 a 2024), orientado pelos princípios éticos, políticos e estratégicos, na formação humana integral e construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva. A Base é referência nacional para a formulação dos currículos dos sistemas e redes escolares; integra a Política Nacional de Educação Básica; contribui para outras políticas e ações referentes à formação de professores; fundamenta a concepção, formulação, implementação, avaliação, revisão de currículos e propostas das escolas”, explicou a palestrante.

Finalizando sua participação, a professora Maria do Carmo Motta fez questionamentos sobre a operacionalização do objetivo do Fórum para os participantes. “Como chegar ao alcance dos nossos objetivos?; como organizar e desenvolver nossos cursos de modo a atender às determinações legais, sem descuidar dos princípios e valores que defendemos no nosso projeto institucional?; e Como otimizar e inovar o processo de formação de professores da Unicap articulando o ensino, a pesquisa e a extensão, a teoria e a prática, a vinculação entre os saberes específicos e didático-pedagógicos e o desenvolvimento de competências técnicas e sociais?”, conclui a palestrante.

O coordenador da Unicap Digital, professor Padre Carlos Jahn, responsável pelo Ensino a Distância da Universidade, começo sua fala situando os presentes do cenário onde se encontram, a Unicap. “Nós estamos falando de um lugar que tem 75 anos, que tem um conjunto bacana de licenciaturas constituídas e que deram respostas a uma época. O que vem pela frente? Penso que muito nós temos que inventar e criar isso que está por nascer. Essa realidade entregou 14 mil professores que estão colocados em diferentes postos de gestão, de docência e eu diria de todo tipo de suporte. Eu vou colocar cinco macrotendências e o quanto elas vão impactar a formação de docente e principalmente o ambiente a onde e de onde vem as famílias dos estudantes.”

“Eu vou focar na questão da educação de qualidade. Nós, hoje, na educação básica, no ensino superior, na Pós-graduação, na educação continuada, nós somos desafiados a oferecer e entregar educação de qualidade. O que que é essa educação de qualidade, critico humanizadora, integral, que aponte resultados? Acho que a gente não tem um conceito unívoco sobre o que seja isso. Essa educação de qualidade está permeada por esse conjunto de elementos e, que eu diria talvez, a conectividade, a massificação da informação, as transformações científicas, a questão do respeito à diversidade são elementos muito fortes e muito exigidos e requeridos”, destaca Padre Carlos.

Continuando, ele fala das gerações X, Y e Z. “Esse tema das gerações é muito sério porque eu diria que nós convivemos hoje com a realidade que nós mesmos queremos interagir, fazer, ensinar e aprender. É um misto de quatro coisas que a gente se pega, que a gente se prende e essa é uma realidade desafiadora para nós, inclusive, professores. Eu trabalho com a capacitação docente continuada e a gente vive uma realidade em que o professor chega para a gente e diz assim: ‘Jahn é muito chato esse teu ambiente de aprendizagem. Eu não queria ler, queria que a aula fosse uma coisa como jogar um video game, em que eu só aperto, eu clico e assim aprendo, recebo um conjunto de inputs de realidades novas, que me capacitam’. Então, eu diria essa realidade de essa coexistência dessas gerações X, Y e Z, ela já é anterior, uma cultura dada, ela já está colocada. Nós queremos basicamente todas as coisas aqui onlineon time, full time“, explica o responsável pelo Ensino a Distância da Unicap.

Professor Jahn finalizou sua palestra citando os desafios da educação. “Para finalizar, apresento os desafios da educação, são eles: indisciplina na escola; adoecimento do docente; bullying/ciberbullying; combate ao uso de drogas; uso da tecnologia; coexistência de migrantes; combate ao racismo e xenofobia; mercantilização do ensino; convivência com a diversidade; reposicionamento do papel do professor; pessoas com deficiência”, conclui o palestrante.

 

 

 

print
Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.