Copresidente do Movimento dos Focolares, Jesús Morán, lança livro na Unicap

O Reitor da Universidade Católica de Pernambuco, Padre Pedro Rubens, recebeu o copresidente do Movimento dos Focolares, Jesús Morán, no fim da tarde desta terça-feira (5), em seu gabinete. O encontro aconteceu pouco antes do lançamento do livro Fidelidade Criativa: o desafio da atualização de um carisma, escrito pelo espanhol.

Uma comitiva formada por pessoas ligadas aos Focolares também esteve presente, entre elas a coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unicap, professora Paula Maciel, e o reitor do Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unitas, Caruaru), professor Paulo Muniz.

Durante a conversa, Padre Pedro apresentou a Unicap falando um pouco sobre o histórico da instituição, da faculdade de Direito da Católica com cerca de 3.600 alunos e da tradição pernambucana na formação jurídica, tendo o Estado o primeiro curso superior do País. Ele também mencionou a Cátedra Dom Helder de Direitos Humanos.

Morán disse estar muito feliz em sua primeira visita a Pernambuco. Ele tem uma ligação especial com a América Latina, já que morou durante alguns anos no Chile, onde fez licenciatura em Teologia na Pontifícia Universidade Católica de Santiago e também atuou lá como professor de Filosofia no Ensino Médio (1982-1986) e Ensino Superior (1987-1992).

 

 

Logo depois do encontro, Padre Pedro fez questão de conduzir a comitiva e Jésus Morán ao local do lançamento do livro. O auditório Dom Helder Camara estava lotado. Teve gente que acompanhou o evento de pé. Morán participou de uma conferência intitulada Os Carismas na Igreja e os Desafios da Contemporaneidade à Luz da Antropologia Trinitária. Além do próprio Morán, a mesa foi composta pela coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da Unicap, Profª Drª Zuleica Dantas, pela doutoranda do PPGCR, Jussara Cury, e pela professora Paula Maciel.

O livro de Jesús Morán foi elaborado a partir de uma reflexão do Papa Francisco. “Um carisma não é uma peça de museu, que permanece intacta numa vitrina para ser contemplada e nada mais. A fidelidade, manter puro o carisma, não significa de modo algum encerrá-lo numa garrafa selada, como se fosse água destilada, para não se contaminar com o exterior. Não, o carisma não é conservado mantendo-o reservado; é preciso abri-lo e deixar que saia, a fim de que entre em contato com a realidade, com as pessoas, com suas inquietações e seus problemas. Assim, nesse encontro fecundo com a realidade, o carisma cresce, renova-se, e também  a realidade se transforma, se transfigura mediante a força espiritual que tal carisma leva consigo”.

Morán escreveu o livro baseado nas reflexões do Papa e usou como exemplo a trajetória do Movimento dos Focolares, trata da importância de manter tradições, essências do dogma e como isso pode gerar atualizações necessárias ao carisma. A obra publicada pela editora Cidade Nova tem 92 páginas e está organizada em dois eixos. O primeiro intitulado Atualização, identidade e história e o outro trata de Alguns grandes desafios do atual momento histórico.  

Confira aqui a íntegra do evento do lançamento do livro.

 

 

print
Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.