Católica promove o encontro “Juventude em TransformAÇÃO” com relatos das experiências do Voluntariado Universitário Unicap – VOU

A Unicap, por meio do Instituto Humanitas e do Núcleo de Pesquisa e Estudo sobre as Juventudes – NEPEJ, realizou no dia 26/02 o encontro “Juventude em TransformAÇÃO” que tinha o objetivo de refletir sobre a participação juvenil em ações de impacto socioambiental e apresentar os relatos dos jovens que participaram das experiências de Janeiro/2019 do Programa de Voluntariado Universitário Unicap – VOU, que acontece em parceira com o Programa Magis de Juventude e Vocações e com a Fundação Fé e Alegria nos Estados da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte

A roda de conversa foi iniciada com uma apresentação do Programa VOU que desde a sua criação, em julho de 2017, já conta com 164 participações por meio de 15 Experiências de Inserção nas férias e 2 Experiências mensais, que ocorrem em Olinda e Santo Amaro. Além disso há possibilidades de inserção em atividades semanais, como o Ronda Noturna, que atende pessoas em situação de rua na cidade do Recife e de atividades contínuas junto à “Casa de Direitos” que acolhe migrantes venezuelanos em seu processo de integração no Brasil.

Para João Elton de Jesus, que acompanha as experiências do VOU, “O Voluntariado Universitário da Unicap não tem por objetivo o “Fazer” mas o “Ser”, é uma troca de experiências e saberes entre os alunos e as comunidades atendidas, de modo que todos possam ser pessoas melhores e juntos possam promover ações que tenham um impacto positivo na sociedade”. Assim, além das ações, os participantes do VOU são convidados a refletirem diversos aspectos das suas vidas, a fim de serem mais para os demais.

A roda de conversa começou com a partilha dos alunos Mariana Lima de Melo (Psicologia), Luiz Vinicius de Lima Guido (Medicina), Isis Barboza Alves e Silva (Direito) e Matheus Ernandes Souza de Moura (História), que participaram da experiência em João Pessoa e Cabedelo, na Paraíba, onde atuaram com crianças em situação de vulnerabilidade e com pessoas em situação de rua. Eles narraram o impacto de viver a vida de catador de materiais recicláveis com as dificuldades, como o mal cheiro, o peso dos carrinhos, o sol forte e, principalmente, sobre como sentiram na pele a invisibilidade social e o preconceito vividos pelos catadores em sua jornada de trabalho pelas ruas da cidade. Também relataram a experiência de estar com as crianças, do carinho, da atenção e da confiança que essas tinham com cada um deles, ainda que a convivência tenha sido de apenas de alguns dias.

Em um segundo momento, voluntários de outras experiências fizeram as suas narrativas pessoais sobre as experiências que participaram. Para Caroline Coura Dias, aluna de psicologia “Após vivenciar a experiências de voluntariado a gente vai percebendo uma transformação em nós mesmos e vamos nos tornando uma pessoa melhor. Talvez a gente não consegue mudar o mundo, mas podemos, sim, mudar realidades”.  Outra voluntária, Adrielly Gomes, conta que “o voluntariado serviu para eu me valorizar e valoriza a vivência de outras pessoas através da empatia. Não entender, porque a partir do momento que eu vou embora para a minha realidade, e sei que tenho muitos privilégios, eu não estou entendendo o que eu vivi ali, pois aquela realidade não é a minha, mas pelo menos tentar viver essa realidade de uma determinada forma e tentar deixar um legado para as crianças, mulheres e adolescentes daquela comunidade”, conta a aluna do curso de Letras. Já Juliene Leite Avelino, aluna de Direito diz que “o voluntariado tira a gente da zona de conforte e cria perspectivas de mundo, de experimentar a vida no mundo, a experiência real fora do acadêmico”.

O Voluntariado Universitário Unicap tem várias modalidades de atuação. Acesse o site www.unicap.br/vou e saiba como participar!

print

Compartilhe:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.